Mistério comandado por Damon Lindelof entrega em seu final as respostas que grande parte do público não queria e assim termina sua perfeita jornada sobre deixar o mistério existir. 

The Leftovers season 3 poster

O prólogo da ultima temporada de The Leftovers acompanha o pregador William Miller que em 1943 fez cálculos que apontavam a iminente vinda de Cristo. Os cálculos, é claro, estavam errados e aos poucos William perdia fiéis que pararam de acreditar nas datas que o pastor divulgava. No final desse lindo prólogo uma fiel, uma das poucas remanescentes de William, vê seu marido e filho a olhando com desdém por ainda crer na vinda de Cristo como seu Salvador.

Lost em 2010 ensinou aos que a acompanharam que ninguém vive e morre sozinho, a sci fi de Lindelof e Abrams entregou as respostas necessárias para o público entender sua mensagem e The Leftovers seguiu esse mesmo caminho em sua última temporada. O mistério não é importante, aonde os 2% da população foram parar não é importante e é irrelevante, afinal o que importa está visível aos olhos.

Nora é como Jack (de Lost), privados de sua vida por um mistério que está além de seu alcance ambos os personagens precisavam sair do lugar que os prendia não importando os laços que nele fizeram. Nora nunca superou a perda dos filhos e Kevin não foi o suficiente num primeiro momento para que a personagem entendesse que lidar com a perda não significa a ignorar, mas sim seguir em frente e deixar o mistério que a envolvia ser. Let the mystery be diz a música de abertura da segunda temporada de The Leftovers que facilmente poderia ser cantada para Nora.

Nora precisou cruzar o mundo, com a fé de uma fiel que acreditava tanto no fim do mundo para rever os filhos e Kevin a acompanhou com suas duvidas messiânicas, afinal a fé move as pessoas. E Nora, sempre ela, ao ter o direito de acreditar que partir para um outro plano a levaria para os filhos negado entra em crise, acreditar em algo e não poder o tocar sufoca! Nora, sempre ela, precisou correr atrás de sua fé e perdeu Kevin nesse caminho para o desconhecido, mas um desconhecido que a proporcionava respostas que o comodismo com o mistério não proporcionavam.

Nora precisou ir ao encontro dos filhos, precisou olhar eles saindo pela porta, já adultos, para entender que ela pertencia ao mundo de mistério. E como em um arrebatamento Nora voltou, assim como Jack em Lost precisou voltar para a ilha que o sufocava com seus incontáveis mistérios, Nora pertence a esse mundo e depende dele. Envergonhada e conformada com a realidade que pertence os anos passaram e Deus não veio, mas Nora já sabia disso, e foi preciso que Kevin matasse a si mesmo, matasse o sentimento que teve por Nora para que sua visão messiânica do mundo acabasse da mesma maneira que Nora teve que ir a um mundo aonde 98% das pessoas desapareceram para entender que o acaso os fez perder a realidade a que pertenciam. E o mistério continua a existir, mas com o passar dos anos ninguém se importa com ele.

O passar dos anos fez Miracle não ser mais uma cidade especial, os anos passaram e Matt de alguma forma recuperou seus fieis e foi lembrado. Nora e Kevin se reencontraram e concordaram em deixar o mistério existir, afinal no mundo em que vivem eles perderam alguns pessoas mas nada que não possa ser suportado pela companhia um do outro. Ninguém vive sozinho.

Bem, eu acredito no amor e vivo minha vida adequadamente.

Mas eu prefiro deixar o mistério existir.

OBS: É claro que minha review não faz jus a toda perfeição que é essa série, mas tentei passar meu entendimento sobre essa linda história.

OBS2: Nada se compara a The Leftovers na televisão, NADA.

OBS3: Se a série for ignorada nas premiações ficará comprovado o quão irrelevantes elas são.

OBS4: Acreditem em algo.

 

 

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here