O universo de séries da Marvel/Netflix se iniciou lá em 2015 com uma promissora primeira temporada de Demolidor, que foi muito elogiada, seguida por Jessica Jones, que também teve um ótimo início.

Em 2016, devido ao grande sucesso da primeira temporada, Demolidor voltou e a ideia ali era montar todo um terreno futuro desse universo, desde o Justiceiro até as vilanias do Tentáculo mostrado em Os Defensores. O problema começou aí, porque apesar da série não ser mais tão arrastada, ela perdeu o foco para desenvolver tramas de outros heróis e vilões, deixando um buraco (literalmente) na história.

Então veio Luke Cage, que voltou a ter aquele probleminha de ser um pouco mais arrastada que o normal e ainda sofrer um plot twist de gosto duvidoso no meio da temporada, o que nos leva até Punho de Ferro, que deveria seguir uma linha de filmes de luta, mas na verdade é só uma história de um garoto mimado que a cada 5 minutos tem que lembrar todo mundo que ele é o “Imortal Punho de Ferro”. Entre altos e baixos, as séries deram lucro e a grande promessa de juntar os 4 personagens se tornou realidade. A série infelizmente não é a melhor da parceria marvel/Netflix, mas consegue ter alguns pontos positivos que se destacam e que serão listados aqui.

Lembrando que o texto a seguir contém Spoilers de Os Defensores!

 

1- A relação dos personagens

Talvez você não tenha gostado de algum dos protagonistas em suas séries solos, mas se tem uma coisa que Defensores conseguiu obter sucesso foi na relação dos quatro heróis. A forma com que os personagens passam a se conhecer, os diálogos, a interação e até mesmo algumas (não todas) brigas entre eles são incríveis de se ver.

A série divide o grupo em duplas, sendo Matthew e Jessica o lado mais humano, que não vê a hora de acabar com tudo aquilo pra voltar a vida normal, enquanto que Danny e Luke são os que tem uma “missão” ali e estão tentando salvar as pessoas a qualquer custo.

 

2- O lance das cores

A série brinca com uma paleta de cores para cada personagem a fim de sabermos de qual personagem a história está se focando. É legal ver que além das cores, a vibe de cada personagem se encaixa em seus momentos particulares, como por exemplo quando a temos um tom mais amarelado no filtro, o foco da história passa a se no Luke Cage, além da trilha sonora alterar para músicas mais urbanas.

3- Os Vilões

                                                                                                                              Apesar de não termos o melhor vilão das séries Marvel, ver finalmente tudo que o Tentáculo buscava finalmente sendo esclarecido é muito interessante (ainda que haja muita incoerência nas escolhas deles).

Junto com Alexandra, temos a volta de Elektra que está muito mais interessante do que a vista anteriormente em Demolidor. Com uma personalidade bem duvidosa, a personagem ganha toda a brutalidade necessária e características importantes para a personagem, além de ganhar uma importância maior com o desenrolar da história.

Madame Gao também está de volta, e podemos ver mais da personagem e de quanto ela é inteligente e de certa forma manipuladora. No fim a motivação dos vilões se confundem um pouco, mas nada que tire o mérito deles.

 

4- Demolidor

Isso pode parecer um pouco clichê ou talvez até injusto com os outros personagens, mas Matthew Murdock merece ser citado aqui não só por ser o personagem com o desenvolvimento mais interessante desse universo, mas também por ter um excelente ator ali.

Charlie Cox dá a Mathew algo além de um homem com sentidos aguçados e nos passa um sentimento de realismo quando ele toma suas decisões ou comete seus erros, nos deixando mais próximos do personagem, que consegue deixar o espectador interessado em tudo que acontece com ele, além de preocupar e chocar à quem está assistindo o desfecho do personagem durante a série.

 

5- O famoso “fanservice”

Dificilmente temos alguma adaptação de quadrinhos hoje em dia em que não haja nenhuma referência a grandes graphic novels dos personagens ou então alguma cena que marcou algum deles. Com Defensores não foi diferente.

Mesmo que esse não seja o foco principal da série, esses “fanservices” serviram para um propósito, muito mais do que só fazer aquele leitor de Quadrinhos sorrir com aquela referência. Os fanservices acabam fazendo sentido para as próximas temporadas das séries – o que nos deixa bastante empolgados. Como a relação criada entre Danny e Luke – que além de ser muito semelhante a dos quadrinhos, também nos leva a crer que no futuro tenhamos uma série dos Heróis de Aluguel.

Tem algum outro ponto positivo da série que não foi listado? Comente, deixe a sua opinião!!!

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here