Apesar de a série adaptada pela Netflix, seguir a risca grande parte do livro de Jay Asher, algumas coisas foram mudadas, algumas foram bem diretas e outras apenas uma curiosidade. Hoje verá 13 delas.

A Bicicleta Azul

Enquanto na série Tony entrega para Hannah o gravador de voz na escola, no livro ela segue até a casa do rapaz com sua bicicleta azul. Clay, no livro, não utiliza nenhuma bicicleta. Ele segue por todo o mapa de Hannah durante a noite, totalmente a pé e sozinho – com exceção de quando Tony está ao seu lado, durante a passagem em que ele escuta sua própria fita. No livro, Hannah vai até a casa de Tony e além de deixar a bicicleta com ele, é quando pergunta se ele teria ou não um gravador.

#ClayLerdo

Na série, Clay não consegue ouvir as fitas de forma constante, sendo chamado até mesmo pelos outros personagens como o mais lento. Embora ele especifique várias vezes durante a série que sente uma enorme dificuldade em escutar a voz de Hannah e absorver os detalhes e as histórias que a garota conta, no livro ele escuta tudo em uma noite, não sendo interrompido e, de quebra, fugindo de casa para seguir os lugares marcados no mapa.

O Suicídio

Se no livro Hannah optou por acabar com sua própria vida com medicamentos que lhe provocam uma overdose, na série o suicídio foi bem mais dramático: ela corta seus pulsos na banheira, onde fica até que seus pais cheguem em casa e se deparem com a cena. É um fator de divisão de opiniões, uma vez que alguns gostaram da modificação e outros gostam mais da forma original. O importante é que, das duas formas, você se afeiçoa à Hannah Baker e sua morte é sentida de ambos os jeitos.

Skye

A personagem Skye, que trabalha no Monet’s, tem uma função importantíssima: embora apareça pouco no livro, ela é a “prova” de que as fitas de Hannah ensinaram a Clay ler os sinais da depressão e solidão, tentando se aproximar da menina no final. Na série, porém, ela ganha um papel maior – sendo “cúmplice” de Clay quando ele risca o carro de Zach, ela também se encarrega de vez ou outra dar-lhe uma dura (como quando contesta sobre não ser uma Hannah ou uma Sheri). Bônus? Eles se conhecem desde a infância, mas se distanciaram após um verão e Skye apareceu na escola no 1º ano, assumindo totalmente seu estilo.

Clay Jensen

O protagonista da série foi provavelmente o personagem que mais sofreu mutações! No livro, nos deparamos com um garoto que se recusa veemente a jogar as pedras na janela de Tyler, que não risca o carro de Zach Dempsey e, principalmente, não está tão mergulhado na ideia de realizar uma vingança contra os demais protagonistas das fitas de Hannah Baker. Na série, por outro lado, Clay não apenas risca o carro – ele também libera uma foto de Tyler nu, espalhando-a para a escola inteira. Fora que também há o bônus dele se envolver em uma briga, ser suspenso por três dias por se envolver em um conflito com os outros que também receberam as fitas. Na série, Clay fica muito mais paranoico do que no livro – o que, claro, é totalmente aceitável. Além disso, o vício de café de Clay é percebido desde o início! Tanto que, no livro, é comum ir ao Monet’s e escolher o Peito Peludo, que contém mais cafeína!

A Confissão de Bryce

A descrição no livro a respeito do estupro de Bryce é categórica: ela afirma que ele colocou suas mãos por dentro do biquíni que Hannah usava, mas que ele não parou por aí. Assim, como a cena não foi tão detalhada, a produção permitiu que o roteiro se encarregasse de uma cena pesada, onde a menina pede para que ele pare. Além disso, na série, Clay vai até Bryce e arranca do rapaz riquinho uma confissão; no livro, nada disso acontece, não há uma 14ª fita e, de quebra, Bryce provavelmente tenha recebido as fitas.

Sheri? Não…  Jenny!

No livro, a personagem Sheri não tem esse nome: além de na série ela demonstrar uma afeição e mais tarde acabar demonstrando um interesse amoroso em Clay, a menina na realidade se chama Jenny Kurtyz, uma das pessoas que teria recebido a fita após Jay.

Os pais

Os Baker foram, sem dúvidas, os que mais sofreram com a morte de Hannah, visto que ela era sua filha. É claro que os flashbacks na série nos permitiram ver como foi a reação da mãe ao encontrá-la na banheira, mas no livro, eles não ganham um papel tão importante assim – na verdade, em nenhum momento a briga judicial é citada, o que não significa que ela não exista. Além disso, os pais de Clay precisando lidar com as mudanças de comportamento do filho foi uma mudança a mais. A mãe de Clay, embora mencionada várias vezes no decorrer do livro, não está em um processo em que defende a escola e, verdade seja dita, não há uma menção exata sobre ela ser advogada.

O ataque de Tyler

Como não há no livro diálogo entre os demais personagens e Clay (não há interação nenhuma), não há também brigas e, portanto, o protagonista não quer se encarregar de bancar O Justiceiro – sendo assim, Tyler não tem seu nude vazado, e também não têm vontade de vingar-se de todos. Na série porém o fotógrafo começa a montar um verdadeiro arsenal, selecionando suas vítimas através de fotografias. Eventualmente, Alex é removido do varal de fotos, mas não se sabe se é por ter atirado no garoto ou, simplesmente, por ter lembrado-se que ele foi o único a apoiar a participação de Tyler nos “planos” dos demais.

 Alex Standall

Desde o primeiro episódio é nítido o incômodo que alguns alunos sentem à respeito dos cartazes sobre suicídio e de como o tema está sendo abordado pelos professores. Na série, estando revoltado com os demais e com tudo o que está acontecendo, sentindo-se culpado por ter criado a lista das Melhores e Piores, o garoto envolve-se em várias brigas, é suspenso e, de quebra, encerra a série cometendo, supostamente, suicídio.

Courtney

Hannah e Courtney, no livro, se juntam para que a menina consiga descobrir quem é seu stalker. Para isso, ambas resolvem fazer uma encenação, procurando provocar o fotógrafo misterioso com algumas “cenas quentes”. Na série, porém, as duas acabam bebendo demais e durante uma brincadeira de desafios, Courtney desafia que Hannah a beije e, depois, as duas acabam se beijando novamente. É essa a foto que Tyler espalha. No livro, a real atitude de Courtney é espalhar vários boatos a respeito de brinquedos sexuais que Hannah teria.

O aluno “aleatório” morto no acidente de carro

Who_is_13_Reasons_Why_star_Brandon_Larracuente__Meet_the_actor_who_plays_key_character_Jeff_in_the_Netflix_series.jpg (620×374)

No livro, uma líder de torcida agradável nomeada Jenny da a Hannah uma carona após a festa. Mas ela acidentalmente derruba um sinal de pare, e em vez de chamar a polícia, Jenny deixa a cena do crime antes que alguém possa ver o que aconteceu, o que leva a um acidente de carro que mata um de seus colegas. Clay descreve o aluno como “apenas uma das muitas caras na escola que eu nunca conheci”. Mas na série, o estudante morto é o carismático, Jeff, o único cara verdadeiramente legal nessa história.

Contexto Social

A serie foi adaptada para o ano de 2017, mas o livro originalmente foi lançado em 2007. Essa diferença de anos obviamente rende muito mais a ser explorado na série, que produz forte crítica ao vício dos jovens com as redes sociais e também mais sobre o cyberbullying. Há dez anos atrás, o livro cita superficialmente pagers, celulares não tão modernos e computadores antigos. Inclusive a crítica feita em um dos primeiros momentos, quando duas alunas batem uma selfie na frente do memorial de Hannah na escola e também postam a #NeverForget (#NuncaSeEsqueça).

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here