PS: a Tv aberta em questão é a americana e nao a BR. 

Em 1993 estreava na Fox um dos maiores fenômenos da TV mundial, Arquivo X, série que traria consigo um novo jeito de fazer televisão aonde o público é levado em consideração ao mesmo tempo em que a história se desenvolve.

Mulder e Scully podem (e devem) ser considerados a melhor dupla em uma série investigativa, a química que os envolve é quase tão forte quanto a do elenco de Friends, outra série que foi fortemente influenciada pelo seu público. Com o passar dos anos, mais precisamente após a segunda temporada, Arquivo X começou a sofrer pelo seu sucesso. Gillian Anderson e David Duchovny se tornaram os queridinhos da TV e com isso a série que prometia ser focada no paranormal começou a se expandir. A intimidade entre a dupla aumentou, flertes foram ficando mais fortes ao mesmo tempo em que Scully lidava com os efeitos de sua abdução. Mulder ficou mais protetor e dava a Scully o mérito da dúvida, e nos fillers os protagonistas cresciam, algo que pouco acontece na TV.

First Person Shooter
First Person Shooter

Enquanto a mitologia seguia firme em 5 a 10 episódios por temporada, eram os fillers que aumentavam o interesse na série. Episódios como War of the Coprophages (o episódio da cidade das baratas), Home e Bad Blood garantiam números absurdos para o show. Home, por exemplo, foi assistido por 27 milhões de pessoas em 1996, algo que não existe mais na Tv aberta americana, e os motivos são bem simples, a fórmula perfeita criada por Chris Carter em contar a sua história ao mesmo tempo em que contava a história que o público queria ver.

Cartas foram enviadas para Chris Carter pedindo que o showrruner transformasse Mulder e Scully em um casal, o fanatismo dos fãs era tão grande que um termo muito conhecido nos dias de hoje foi criado por eles. As cartas chamavam o casal formado for Mulder e Scully de “Sculder“, e assim nasceria o primeiro shipp da Tv mundial. Ao mesmo tempo em que os shippers exigiam o romance outro grupo surgiu, os NoRomos (sem romance) que iriam contra o envolvimento amoroso dos protagonistas. Chris Carter, muito inteligente, usou isso em seu favor e torturou o publico por sete temporadas até que o primeiro beijo ocorresse, sem prejudicar o show o romance de Mulder e Scully nunca foi de fato trabalhado, agradando assim os shippers e os NoRomos. Se atualmente temos na TV shippers como Olicity, SwanQueen, Jonerys e etc, a culpa é de Arquivo X, que diferencialmente dessas séries soube trabalhar o romance sem perder a qualidade.

The Post-Modern Prometheus
The Post-Modern Prometheus

É também atribuído a X Files os episódios “monstros da semana” que brincam com a realidade sem interferir no plot principal, algo que é muito bem usado em Grey’s Anatomy ( o episódio musical e a realidade paralela), por exemplo. Episódios como esses resolveriam um grande problema que atormentava Law and Order, que só em meados de 1997 (já em sua sétima temporada) começou a relevar a seriedade dos tribunais. Esse tipo de episódio também caracterizou CSI e principalmente NCIS que atualmente é a série investigativa mais assistida da Tv.

E foi X Files que quebrou o gelo entre os protagonistas e abriu caminho para o risco na Tv. Arquivo X trouxe dois atores desconhecidos ao estrelato, algo que hoje é padrão nos grandes canais, acredita-se que a Fox só reajustou o salario de David Duchovny e Gillian Anderson em 1998, fechando um contrato milionário com a dupla que seria um problema anos depois. Os contratos milionários começaram e morreram com Dallas e foram revividos por Arquivo X, garantindo processos quase que intermináveis.

Mulder and Scully meet the were-monster
Mulder and Scully meet the were-monster

Essa fórmula divertida e saturada do episódio da semana, os shippers que estragam séries e os atores milionários são todos frutos de Arquivo X, a única série imortal da Tv aberta, ela não termina nunca! Mulder e Scully foram um marco para a TV e estão nela até hoje, em cada série que tenta repetir o seu sucesso, mas com pouca qualidade. Falta em showrruners como Marc Guggenheim (Arrow), Walter O’Brien (Scorpion) e Jon Bokenkamp (The Blacklist) a inteligência comercial de Chris Carter que respeita a história inicial de seu show ao mesmo tempo que introduz fan services em sua jornada. A Tv está órfã de séries assim, não é atoa que o revival de Arquivo X foi a segunda temporada mais assistida da fall season 2015-2016.

Arquivo X é muito mais que uma série investigativa.
Assistam Arquivo X, é sério.