Reunindo as edições 337 à 343 de The Might Thor, o encadernado Thor: O Último Viking (lançado na coleção de Grapfic Novels da Salvat), pode ser considerado, além de uma das melhores histórias do poderoso Deus do Trovão, um dos maiores e mais grandiosos trabalhos da carreira de Walt Simonson.

A trama deste encadernado nos mostra que apesar de ser um dos mais poderosos guerreiros de Asgard, até Thor pode ser derrotado em uma batalha. Além disso, essa história prega muito o quão enaltecedor poder ser a humildade.

Como habitualmente nas histórias do Thor, esta se passa em diversos pontos completamente distantes do universo, apresentado diversas raças alienígenas até então desconhecidas. O encadernado se inicia ainda na Terra, com Thor vivendo sua identidade secreta de Donald Bake, até que então Nick Fury o leva para o Aeroporta-aviões da SHIELD por conta de um, considerado até então, inimigo que somente o deus conseguiria alcançar. Com o decorrer da história, passamos a conhecer Bill Raio Beta, um alienígena que foi designado a proteger toda sua civilização, que por fim acaba ganhando poderes parecidos com os do asgardiano.

A narrativa consegue contar diversas histórias diferente em poucas páginas, mas isso não faz com que a leitura se torne cansativa, e sim mais interessante. Toda a trama se embasa no amor de Thor por Midgard (a Terra), mostrando tudo o que o herói pode fazer para proteger o planeta ao qual foi enviado em seu exílio. Apesar de ser um personagem já desenvolvido em muitos quadrinhos lançados anteriormente, este mostra não só a evolução do filho de Odin como um herói/guerreiro, mas sim como um humano comum (já que ele deve manter sua identidade secreta, que por um motivo que não será revelado neste texto, é mudada para Sigurd Jarlson), além de apresentar muito sua compaixão com outros guerreiros aliados.

A forma que Walt Simonson escolheu para escrever todo o roteiro desta história se torna extremamente atrativa, indo de um tom sério para algo mais cômico em questão de segundos, tornando a leitura muito leve. O escritor soube escolher cada palavra presente em todo o decorrer do quadrinho, as quais conseguem expressar exatamente aquilo que os personagens sentem ou devem dizer.

E como se não bastasse ter feito uma excelente narrativa, Simonson também foi o responsável pela arte, que é brilhante na quantidade de detalhes que ela apresenta, conseguindo por meio dela, mostrar não somente o físico de cada personagem presente, mas sim algumas características de emoções, que são representadas por meio de “caras e bocas”.

Como dito anteriormente, esta consegue ser um grande destaque em meio a outras muitas histórias sobre Thor. Seja por sua eximia narrativa ou pela sua arte magnifica, Thor: O Último Viking merece toda a exaltação que recebe e com certeza ainda irá receber por muito tempo.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here