“Quando se aproxima o natal em Metrópolis, o Super-Homem começa a ponderar com um certo desconforto sobre o cruel abismo que separa os poucos privilegiados dos muitos destituídos que beiram a inanição.

Decidido a ajudar fazendo de si mesmo um exemplo, o Homem de Aço resolve empregar todos os seus incríveis poderes num esforço titânico para aliviar a fome no mundo. Apesar do cinismo e das dificuldades que ele encontra nesta tarefa, seu maior presente para o planeta é uma inegável mensagem de paz e esperança.”

O quão maldosa pode ser a humanidade? Vemos todos os dias pessoas morrerem nas sarjetas das piores maneiras possíveis, pessoas que mesmo sendo iguais ao próximo insistem em julgar e/ou matar o outro por conta de suas escolhas, como por exemplo o homem que invadiu a boate e matou 50 pessoas pelo simples motivo deles serem homossexuais, barbárie que aconteceu nesse último final de semana. Embora muitos neguem, a maldade sempre caminhou junto com a raça humana, desde os primórdios, os humanos são seres extremamente bárbaros e egoístas que segregam o próximo com pífias desculpas para dominá-lo. Foi assim que nasceu a divisão da sociedade, a política. É assim que ela perdura até hoje. Dessa maneira também nasceram as lendas e os deuses.

A população mais pobre precisava (e ainda precisa) de um salvador, eles clamam por isso. Basta observar dados, nos dias atuais os países mais religiosos são os mais pobres. Qual a razão disso? Simples. Deus (no geral, não me referindo apenas ao hebraico) dá esperança a elas. As pessoas esperam incansavelmente que alguém desça do céu e as carregue no colo à um lugar melhor, sem abusos ou sofrimentos. É nisso que o Superman se baseia. Ele é uma metáfora ao salvador onipotente, onisciente e onipresente idealizado a dois mil anos atrás como aquele que está disposto a fazer de tudo para ajudar os mais necessitados. É isso que Superman: Paz na Terra nos mostra.

Escrito por Paul Dini (produtor das séries animadas de Batman e Supeman) o enredo começa com o Superman realizando uma famosa tradição na cidade: ele coloca a árvore de natal no centro dela, assim iniciando o período do bom velhinho. O que ele não esperava é que no meio de toda aquela plateia que aplaudia euforicamente seu ato, havia uma garota que precisava dele. A garota desmaia e o herói a leva rapidamente ao médico, onde é constatado desnutrição. Abalado com o que aconteceu, Superman decide convocar uma conferencia com grandes produtores de alimentos para levantar lotes de alimentos e os distribuir no mundo, lógico que o ato gera uma divisão nos governantes, mas eles acabam aceitando. Após dar inicio em seu plano, ele viaja pelas mais variadas regiões, conhecendo até o Brasil, distribuindo alimentos e carinho aos mais necessitados, e é claro que isso irrita certos governos que lucram com a pobreza extrema de seu povo. Esses governantes num ato de extrema covardia acabam destruindo os planos do Homem de Aço, que ao fim do quadrinho nos deixa uma reflexão: Vale a pena tentar fazer algo pelo próximo, mesmo que ninguém te apoie com isso?

O roteiro curto e objetivo faz uma crítica pesada ao modo de vida da população atual. As pessoas não conseguem mais enxergarem atos de bondade como atos de bondade, sempre há alguém para dizer que existe algo errado por trás daquilo. Essa desconfiança vem devido a diversas situações onde corruptos (deixando claro que não me refiro APENAS aos políticos) usaram de desculpas para extorquir a população e as encher de uma falsa esperança. Com uma abordagem muito mais divina e mundial que algumas outras versões do Superman, essa versão é uma personificação perfeita da esperança humana e do que um herói deve ser, sendo molde para diversos outros personagem e histórias que vieram a seguir.

Reservo esse parágrafo para falar da obra do incrível Alex Ross. O traço feito, combinado a cores mais claras e sutis ajuda a dar esse ar salvador ao Superman, junto a isso, o desenho realista de Ross aproxima as críticas citadas a cima da percepção do leitor. O artista parece ser um fã incondicional da face divina do herói, afinal, ele sempre é mostrado voando a cima dos humanos, ou descendo por entre as nuvens, envolto por um brilho angelical, seguido por comemorações e uma enorme fé de quem é salvo. Tudo fica explicito pela arte. De maneira mais simplória, Ross desenhou o Superman perfeito. Muitas dessas artes que foram usadas nessa história foram colocadas como easter-eggs no filme Batman v Superman, mais uma vez mostrando a figura divina dele.

O maior herói de todos os tempos sempre vai ser uma figura de esperança entre os cidadãos mais necessitados do mundo. Ele é a maior e melhor alegoria de um salvador definitivo já criado pelo homem durante a Cultura Pop. Não importa a situação, ou o lugar que você está, se você precisar, ele estará lá.

“Considero os meus poderes um presente. Não apenas para mim, mas para todos os que precisam deles”

 

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here