Nascida no País de Gales, de mãe nativa e pai grego, Marina Lambrini Diamandis, sob o pseudônimo de Marina & the Diamonds, é uma cantora de indie pop e new wave. Alçada à fama em 2010, após conseguir o segundo lugar da “BBC Sound  Of 2010”, perdendo apenas para Ellie Goulding, Marina começou sua carreira de forma independente, vendendo cópias de seus primeiros CDs via Myspace. No entanto, a cantora só caiu no gosto geral do público em 2012, com o álbum Electra Heart e seu primeiro single no top 20 do Reino Unido, Primadonna, que alcançou #11 no “UK Singles Chart” e 27 milhões de visualizações no Youtube. Apesar do nome, Marina já deixou bem claro que seu nome artístico se refere a ela apenas, e que os “Diamonds” são seus fãs, não sua banda de apoio. A formação da banda que acompanha a cantora era composta por Nick Johnson, Tom Holdroyd, Nick Harsant, Bem Epstein e Chris Morris; a formação atual é composta por Peter Carr, Jonathan Shone e Sebastian  Strassbürger.

 

O estilo das canções de Marina & the Diamonds varia bastante, desde baladas de teclado com letras mais melancólicas como Happy, a músicas mais animadas e com letras mais divertidas e com um certo tom de deboche e crítica, como How to be a Heartbreaker e também músicas mais alternativas, como Lies. Um ponto positivo em suas interpretações musicais é a voz profunda de Mezzosoprano, com um timbre forte, que dá um tom mais maduro mesmo em suas músicas mais joviais. Influenciada por artistas como Kate Bush, Patti Smith e Blondie, Marina também influenciou artistas mais recentes, como Bridgit Mendler e em especial Melanie Martinez, tanto no estilo musical mais experimental com uma pegada retrô, quanto no apelo visual e a criação de um “marco estético” em algum álbum (o coraçãozinho preto na bochecha de Marina na era Electric Heart e o cabelo simetricamente bicolor de Melanie na atual era Cry Baby).

Vencedora dos prêmios de “Best UK & Irish Act” no EMA 2010, “Best Newcomer” no  Virgin Media Music Award 2010, e “Best Singer/Songwriter” no PopCrush Battle of the Brits 2013, Marina & the Diamonds já foi indicada ao BRIT Awards e NMA Awards, e seu álbum mais recente, FROOT, esteve no top 100 da Billboard ano passado. Ela também foi cotada para o Lollapalooza aqui no Brasil em 2015, mas seu voo foi cancelado e ela não pôde se apresentar no dia, para a decepção de muitos fãs que foram ao festival esperando por seu show. Como forma de reparação, Marina prometeu aos fãs estar presente na edição desse ano do festival e é uma das atrações do primeiro dia do Lollapalooza, junto com nomes conhecidos como Eminem, Mumford & Sons e Matanza, e outros nomes não tão conhecidos, mas igualmente incríveis, como Die Antwoord, Halsey e Of Monsters and Mens.

Seu último álbum, FROOT, foi certamente um deleite para os fãs, avaliado em 75 no Metacritic, e pela primeira vez rendeu à cantora galesa um lugar no top 10 norte-americano, já que estreou na oitava posição. Embora muitos tenham reclamado que Marina se diferenciou do perfil musical e estético que a consagrou em seus álbuns anteriores, FROOT pode ser visto como o resultado de seu amadurecimento enquanto artista e sua realização enquanto compositora, já que o álbum só possui um produtor, sendo praticamente todo de autoria da cantora. A faixa-título do CD, lançada no dia de seu aniversário junto com o videoclipe, é um retorno ao conceito de seu primeiro disco, The Family Jewels, com uma atmosfera mais madura e ao mesmo tempo divertida. Marina optou por lançar uma faixa do disco digitalmente a cada mês, no entanto o álbum completo acabou vazando antes. Destaque para as faixas I’m a ruin e Happy, que conseguiram entrar no top 10 do iTunes USA, e Forget, o primeiro #1 da cantora. FROOT é um álbum profundo e intimista, com uma Marina mais madura e simples, mas sem perder a essência e dando sempre um show de vocais, arranjos e composições.