Trabalho solo mais recente da líder do Girls’ Generation e primeiro full álbum da carreira da cantora – que até então contava com dois mini álbuns e dois singles digitais – My Voice possui 12 faixas, cada uma única e excelente à sua própria maneira, marcadas pela belíssima voz de Kim Taeyeon, a começar pelas duas faixas-título (que também nomeiam as duas versões físicas do álbum): Fine I Got Love. Tendo o MV lançado antes do álbum completo, I Got Love tem um quê de burlesco e sutilmente sensual, e inovou na imagem da artista, que até então só experimentara conceitos sexy em grupo, no Girls’ Generation. Sua voz aveludada característica se encaixou muito bem na música, e o apelo visual brilhante, colorido e sexy do MV foi uma agradável surpresa aos fãs e aos que acompanham (mesmo que de longe) seu trabalho, criando assim boas expectativas quanto ao lançamento posterior do álbum.

Já Fine, uma canção com um apelo mais acústico e R&B, se assemelha a outros trabalhos de Taeyeon (como I, sua música de debut), sendo ao mesmo tempo totalmente original por si só. Uma canção que mostra mais da potência vocal da artista, e com um MV de encher os olhos, com uma bela fotografia e uma paleta de cores em tons mais esmaecidos.

Não só os singles foram magníficos em My Voice, mas também as b-sides, como Cover Up, uma faixa mais animada, com um quê de EDM e tropical house, uma canção alegre que ganhou um lyric video. Outra das canções animadas é Feel so Fine, com um baixo bem marcado na música e vocais bem delineados, embora acabe soando como outros lançamentos anteriores de Taeyeon. Já I’m OK tem batidas com um som mais Jazz, e um bom trabalho com os vocais. Mesmo algumas das ballads trazidas em My Voice fogem um pouco do clichê em questão de ritmo e vocais, como Time Lapse, Love in Color. Em suma, um álbum simples, que inova sem sair tanto da zona de conforto, no qual Taeyeon mostra o seu potencial e reafirma sua identidade artística.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here