Título: Desintegrados
Autor(a): Neal Shusterman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 416

Sinopse: “A Fragmentação tornou-se um grande negócio com poderosos interesses políticos e corporativos em jogo. O governo não quer apenas continuar com ela, como também expandi-la.
Cam foi feito inteiramente com as melhores partes de fragmentados e, tecnicamente, ele é um garoto que não existe. Um verdadeiro Frankstein do futuro, que luta para encontrar sua identidade e se questiona se um ser como ele pode ter alma.
Quando as ações de um sádico caçador de recompensas ameaçam a causa de Connor, Lev e Risa, o destino de um deles é ligado ao de Cam.
A aguardada sequência de Fragmentados desafia a suposição de onde começa e termina a vida e o que realmente significa viver.”

 

Desintegrados é o segundo volume da série Fragmentados, então se você ainda não leu o primeiro livro, talvez seja mais legal você ler a resenha que eu fiz pra ele aqui primeiro.

Em Desintegrados, o mundo parece estar despertando do absurdo que é viver enviando jovens problemáticos para serem separados em porções para outras pessoas consumirem. Mas isso envolve muito mais que consciência e uma rebelião aqui e ali, grandes nomes e corporações estão envolvidas até o pescoço nessa forma de vida.

Após a Revolta no Campo de Colheita Happy Jack, Connor e Lisa lutam no Cemitério para manter e controlar um bando de adolescentes indesejados e insatisfeitos, enquanto Lev resolve aproveitar sua repentina fama para influenciar pessoas, pouco a pouco, a uma nova visão de mundo e religião.

Agora temos três novos protagonistas: Starkey é um garoto problema da cegonha e com um ego inflado, inquieto por mudanças assim que pisa no Cemitério; Miracolina é um dízimo, atordoada e ultrajada por estar sendo resgatada da fragmentação e seu destino divino e Cam, o ser humano feito completamente de partes de fragmentados, a verdadeira estrela desse livro.

Campus e as relações que cria durante a história foi o que realmente ganhou a continuação de Fragmentados. Criado completamente a partir de pedaços escolhidos a dedo de fragmentados para ser um ser humano quase perfeito, dá cabo a uma extensa discussão sobre a existência de sua alma e identidade e seu significado no mundo foi de dar nó no cérebro e aperto no coração.

No segundo volume da quadrilogia, eu aproveitei cada página com gosto e a ressalva que eu tinha quanto ao ritmo do primeiro foi absolvida com uma nova história com um ritmo muito mais lento e descritivo. Me deu tempo de me apegar – e detestar – e escrutinar os personagens ao máximo e criar teorias – que é a parte mais gostosa pra mim.

A semelhança com a nossa realidade parece cada vez maior – mesmo que mais aterradora –, ao passo que a cada nova página os problemas e conflitos políticos se tornam reconhecíveis e as motivações se tornam mais críveis. Disputas por poder, grandes organizações reveladas, jogos de manipulação e desafios cada vez mais intrincados me conquistaram e me abriram os olhos para a fascinação recente de muitas pessoas com essa série.

Apesar de ter gostado muito mais da continuação da distopia do autor americano e ter visto muito potencial nas novas figuras (até gostei mais deles do que de Connor, Lisa e Lev), precisamos ressaltar que os novos protagonistas são muito – muito mesmo – próximos ao nosso trio de heróis original o que pode desanimar algumas pessoas por falta de criatividade.

A edição brasileira manteve a capa americana e, assim como a primeira, eu não achei linda, mas a diagramação em geral é impecável e simplista. A obra é separada em partes e um toque todo especial de trechos de notícias e pesquisas que aproximam a obra de ficção de algo real.

Por fim, Desintegrados bateu no primeiro volume com um ritmo muito melhor, personagens mais apelativos e complexos, mas pecou em grandes inovações – desconsiderando o Cam, Cam foi um tapa na cara. Sinceramente? A série não tem toda essa qualidade, mas é instigante, uma premissa incrível e um universo inusitado e perturbador. Fragmentados se tornou um guilty pleasure e eu estou ansiosa pro próximo volume.

REVIEW OVERVIEW
Trama
Narrativa
Personagens
Diagramação
Ambientação
SHARE
Previous articleBryan Cogman está desenvolvendo o roteiro da quinta série derivada de Game of Thrones
Next articleBilheteria de Homem-Aranha: De Volta ao Lar ultrapassa Batman v Superman nos EUA
Estudante de Medicina Veterinária, apaixonada por literatura e nascida pro drama. Usa seu tempo livre para ler, assistir séries compulsivamente, planejar tatuagens e amassar animais. Se expressa melhor através da escrita e ama mais seus gatos do que 98% das pessoas que conhece.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here