Violet Markey tinha uma vida perfeita, uma tipica garota de filmes americanos, que namora Ryan Cross, o carinha mais lindo e cobiçado da escola; mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente na sua nova vida. Theodore Finch é o esquisito da escola, não o perseguido pelos valentões, sim o que vai atrás dos valentões, e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da sua família.

por-lugares-incriveis

Por Lugares Incríveis
Autor: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
400 Páginas

Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde vive, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio a moda antiga ou atual e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Ambos se ajudam a sair dali com suas histórias e motivos, e essa dupla improvável se une para fazer um simples trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, alguém que todos queremos encontrar um dia em nossas vidas, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

O livro é narrado a cada capitulo pela perspectiva de Violet e Finch(O que pole lhe lembrar um pouco George R. R. Martin) ambos são dois personagens bem marcantes na narrativa do livro, cada um vivendo sozinho com seus problemas internos e por mais diferente que suas vidas sejam, e por todos os caminhos que a vida lhes deu, eles lidam com situações bem parecidas. Quem é Violet antes e depois do acidente? Quem é Finch aberração quando ninguém está olhando? A sinopse já diz um pouco a respeito de quem são eles, dizer mais do que isso vai acabar com o encanto de descobrir mais e se apegar aos personagens.

“Sinto como se estivesse acabado de atravessar o fundo do guarda-roupa e entrado em Nárnia”.
“Sinto como se estivesse acabado de atravessar o fundo do guarda-roupa e entrado em Nárnia”.

Eu sou o tipo de pessoa que pensa que muitas histórias surgem com um único intuito: mudar a maneira como devemos enxergar o mundo e, principalmente as pessoas. Pode parecer extremamente clichê dizer algo do tipo. Clichê ou não faço minhas as palavras de Mário Quintana que livros mudam sim, as pessoas, pois ao escrever o belíssimo Por Lugares Incríveis a excepcional autora Jennifer Niver conseguiu transformar completamente a minha maneira de enxergar o amor, e também minha visão sobre esse mundo maluco em que vivemos. Por lugares incríveis foi o ultimo um livro que eu li, e o considero muito especial desde que finalizei o seu primeiro capitulo.

“Não sou perfeita. Tenho segredos. Sou uma bagunça. Não só meu quarto , mas eu mesma. Ninguém gosta de bagunça.”

Por lugares incríveis foi o ultimo um livro que eu li, e o considero muito especial desde que finalizei o seu primeiro capitulo. Nenhum personagem além dos protagonistas, tem, de fato, tanta importância. Alguns são importantes para o desenrolar da trama, mas eles estão ali para cumprir um propósito: dar ritmo, alma e sentimentalismo ao livro. Cada um possui uma fragilidade incrivelmente bem desenvolvida. Por isso achei a narrativa da autora sensacional. Jennifer passeia pelos sentimentos de seus personagens rápida, porém, brilhantemente. Sua narrativa consegue dar forma as coisas mais simples, assim fazendo-nos viajar além dos limites que as páginas permitem.

Falar sobre suicídio e assumir uma responsabilidade sobre ele é algo extremamente complicado, a autora, não teve medo disso. É preciso tato e muita sensibilidade para tal assunto, mas isso é o que não falta na narrativa de Jennifer. A autora soube construir uma história incrível que permite trazer à tona um assunto tão delicado. O distúrbio mental, a depressão, o transtorno bipolar são discutidos com muita seriedade para que sua mensagem seja objetiva. Qualquer pessoa que enfrenta, tenha crises emocionais repentinas, ou tenha passado por situação semelhante conseguirá captar a mensagem facilmente e com certeza vai ficar marcada com o livro. É difícil não se emocionar(lágrimas rolaram aqui, não falem a ninguém) , sem que um suspiro lento e pesado exprima todo o nosso desconforto com a situação enfrentada por Finch.

 “Quero me afastar de todos os rótulos. “Tenho TOC”, “Tenho depressão”, “Eu me corto”, eles dizem, como se essas coisas os definissem. Tem um coitado que tem déficit de atenção, é obsessivo-compulsivo, tem transtorno de personalidade limítrofe, é bipolar e, ainda por cima, tem um tipo de transtorno de ansiedade. Eu nem sei o que é transtorno de personalidade limítrofe. Sou o único que é só Theodore Finch.”

Mas dentro de toda essa atmosfera densa e perturbadora  no livro, existem momentos memoráveis que fazem o livro se torna ainda mais bonito e damos boas risadas. Jennifer se encarrega de balancear os momentos tensos com os momentos de extrema beleza e entrega dos personagens. Com uma linguagem poética e citações de diversas obras importantes de autores que marcaram várias pessoas com suas obras como Virgínia Woolf em “As Ondas”, assim como o “Morro dos Ventos Uivantes” de Emily Brontë, entre outras obras célebres, o leitor sente como cada palavra tem um peso muito maior nessa narrativa.

O livro possui uma linguagem extremamente simples que permite que o leitor  devore o livro pouquíssimas horas. A leitura é viciante, dessa forma você nem perceberá que já terminou o livro e ele está encharcado com suas lágrimas. Aliás, sabe aquela história do “só mais um capítulo”, aqui ela cabe perfeitamente porque não há como fechar o livro sem antes finalizá-lo. O único problema é que após o término nós nos sentimos à deriva, perdidos, sem saber o que fazer com tanta emoção, com quem vamos divida-la ou pra quem vamos recomendar o livro. Por Lugares Incríveis vai mudar o seu pensamento sobre as pessoas, vai querer fazer você sentir vontade de saber como estão, de que aquele pode ser seu último momento com elas para mais na frente você não se perguntar: será que eu poderia ter feito mais?

Vai fazer você amar mais e ter vontade de sair da sua zona de conforto e aproveitar as coisas boas e malucas que o mundo te deu, você sentirá uma vontade incrível de mandar a mensagem pra a sua amada(o) e dizer que sente muito pelas besteiras, vacilos e todas as vezes que estavam deixando chateado, você principalmente tomará coragem, vai até aquela pessoa que você conhece a poucos meses mas nunca teve a simples coragem de expressar seus sentimentos, ou dizer pra ela que é com ela que você quer viver anos e simplesmente dizer pra ela manhã, tarde e noite: eu te amo.

“Você me faz feliz,
Sempre que está perto, estou seguro em seu sorriso.
Você me faz belo,
Sempre que sinto que meu nariz é grande demais.
Você me faz especial, e Deus sabe o quanto esperei pra ser o tipo de cara que se quer por perto.
Você me faz te amar, Você me faz adorável, e é tão adorável ser adorado por aquela que adoro…
 
Você me faz feliz…
Você me faz especial…
Você me faz adorável…

Adaptação para o cinema: Elle Fanning irá estrelar a versão para os cinemas do livro. O longa-metragem terá a direção de Miguel Arteta, responsável pela direção de episódios de The Office e American Horror Story, e dos filmes Alexandre e o Dia Terrivel, Horrível, Espantoso e Horroroso e Por um Sentido na Vida. O roteiro será escrito pela própria Niven, que com sua obra alcançou o quinto lugar na lista dos best-sellers do jornal New York Times. Theodore Finch ainda não teve seu intérprete nos cinemas definido. Não foi anunciado quando as filmagens de Por Lugares Incríveis vão começar. O filme também não tem previsão de estreia.