Injustice foi lançado em 2013 para diversas plataformas, o jogo baseado no universo da DC Comics foi desenvolvido por uma subsidiária da Warner Games: Netherrealm, que desenvolveu Mortal Kombat em 2011.

Apesar das técnicas utilizadas similares a MK, Injustice criou sua própria identidade, revitalizando o mercado dos games de luta que tinha que sobreviver com um Street Fighter 4 sendo atualizado a cada ano. O game vai receber uma continuação ainda esse mês, e eu quero listar os acertos que Injustice, um dos melhores jogos de luta da geração passada, teve.

A inovação dos controles

Com 6 botões, o jogo utiliza de um esquema diferenciado para os combates. Além dos clássicos Fraco, Médio e Forte, temos o botão da Trait, que é uma habilidade especial exclusiva do personagem.

As habilidades complementam o kit do personagem, o que obriga o jogador a usá-la de formas diferentes. Como exemplo temos o Arqueiro Verde que pega suas flechas para disparar, Exterminador que aumenta o dano que causa com suas habilidades de tiro e o Lanterna Verde chama a energia da lanterna para ter um bônus de dano.

Além disso, a forma de usar as barras de energia é diferente de outro jogos, enquanto em Street Fighter e Mortal Kombat usamos as barras na hora de soltar a magia, em Injustice usamos após lançar a magia para obtermos efeitos diferenciados, além de podermos apostar as barras em uma disputa de força chamada de Wager, e o especial do personagem que tem a execução igual a do Raio-X de Mortal Kombat.

As skins alternativas 

Assim como Marvel vs Capcom 3 fez, o jogo pegou elementos das histórias em quadrinhos dos personagens para fazer suas skins. Os visuais alternativos dos personagens relembram sagas das HQs, como Flashpoint, Red Son e A Noite Mais Densa, passando por skins do Homem de Aço (que foi lançado meses após o jogo), e outras exclusivas de alguns personagens, como Lanterna Verde John Stewart e o Arqueiro Verde com a roupa de Arrow.

A dublagem 

O modo de narrativa do jogo se assemelha a Mortal Kombat: Um grande filme, e para temperar mais ainda essa forma de contar a história, foram chamados os dubladores oficiais dos personagens, toda essa mistura faz o modo história de Injustice parecer um filme animado da DC.

Certo, com exceção do Ettore Zuim que fez a voz do Batman na trilogia Nolan e refaz o personagem no jogo, todos os dubladores são da série animada da Liga da Justiça e eu nem preciso dizer o quão incrível isso é. A forma da interpretação dão um up na narrativa, e o resultado final é uma dublagem nota 10, que contém alguns pequenos erros, mas nada que comprometa o espetáculo.

Uma boa base para o competitivo

O jogo facilita muito o entendimento de si mesmo, com algumas informações escritas no menu de Pause temos até os frames que levam para o personagem se recuperar de um golpe. Essas informações deixam o cenário mais acessível para iniciantes, e essa facilidade dentro de jogo foi espelhada na internet, onde temos combos, guias e explicações sobre os personagens.

E sem uma mecânica tão complexa para estudar e se aprofundar, qualquer jogador que se interessar a subir de Rank no game vai se familiarizar com termos como On Block, Overhead e Chip Damage.

A história

Retirando o gibi de Injustice da jogada, a história do jogo é muito boa. Como dito anteriormente, a narrativa se assemelha a um filme e as reviravoltas são bem interessantes. Superman perde a mulher que ama e em vez de se refugiar na fazenda e deixar o manto, ele enlouquece, virando o ditador supremo da Terra. Anos após essa tomada de poder, o Regime criado por Batman chama suas versões do passado para esse futuro desastroso, criando um time extremamente poderoso para deter o Kriptoniano.

Apesar da maioria do ódio contra Injustice se focar na história (Muito por conta da HQ e do Superman Ditador), o fato de transformar o personagem em um vilão não estraga o que foi construído nas histórias cânone, aliás, é por isso que se chama universo paralelo, e essa decisão de narrativa deixa o jogo mais interessante, com idas e vindas e versões sem esperança dos personagens que conhecemos.

Injustice 2 chega para os consoles da geração atual ainda esse mês, e traz a continuação da história do jogo anterior, com um sistema de armaduras e aprimoramentos individuais para os personagens, resta torcer para que as inovações trazidas sejam bem aceitas pelo público geral e ver como os profissionais irão lidar com isso.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here