Heróis existem sim, mas eles não usam capa, nem tem super poderes, mas tem o dom em fazer algo surpreendente, e é isso que Chesley “Sully” Sullenberger fez no ano de 2009, baseada numa história real, Sully- O herói do Rio Hudson virou um emocionante filme, dirigido por Clint Eastwood e estrelado por Tom Hanks (Sully) e Aaron Eckhart (Jeff Skiles).

O filme começa com Sully e Jeff dentro do avião no momento da pane, onde o piloto tenta fazer uma manobra e acaba errando, acertando um prédio e explodindo o avião. Claro, isso tudo é só um pesadelo, Sully desperta assustado, a cena corta e mostra ele se trocando e assistindo TV, onde está sendo exaltado o feito dele, sendo considerado como um herói, mas mesmo assim ele terá que passar por um rigoroso julgamento interno coordenado pela agência de regulação aérea nos Estados Unidos. O filme demonstra esses dois lados, Sully é exaltado por todas as pessoas por pousar um avião em 15 de janeiro de 2009, após decolar do aeroporto de LaGuardia, em Nova York, pássaros atingiram as turbinas do avião danificando seriamente o avião, e deixou Sully em uma posição complicada, restando a ultima alternativa de ter que fazer um pouso forçado em pleno rio Hudson.

232391-jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

O filme é coeso, sério, e aborda de uma boa forma os fatos que ocorreram naqueles dias, a história do filme é curta, e mostra que nem tudo que é certo é considerado como a melhor ação daquilo. A história ainda consegue mostrar os dois lados da decisão que Sully tomou, herói para a população e imprensa, e mesmo assim sendo investigado pela agencia de regulação aérea. A decisão escolhida deu certo, mas será que foi uma decisão certa? será que não teria uma nova opção para conseguir pousar e salvar a todos, sem colocar em risco a vida das mais 155 pessoas daquele voo? O filme faz esse questionamento o tempo inteiro, e se passa nos momentos atuais e em flashbacks demonstrando como foi o momento do acidente. É mostrado perfeitamente todo o pavor e a tensão que os passageiros daquele voo passaram, e a frieza de Sully em tomar tal decisão.

Os atores estão perfeitos no papel, Tom Hanks interpreta Sully, e consegue passar toda aquela carga dramática que é necessário, o quão perturbado ele ficou depois do ocorrido, e toda sua confiança que aquilo que fez foi o correto a se fazer. Aaron eckhart também está bem como Jeff Skiles, não tem tanto destaque como Hanks, mas ele é um personagem mais irônico e sarcástico com a situação do julgamento, onde demonstra claramente que aquilo tudo é um absurdo.

sly_rl04_v04.14_grdfinal_rec709legal.00365132.tiffClint Eastwood faz mais um ótimo trabalho, ele sabe conduzir bem o filme e tira o máximo que pode, a escolha por apenas 1h e 30m foi ideal, já que como o filme conta a história de algo real, se alongar poderia acabar ficando maçante e pesado. A fotografia do filme é bonita, a trilha sonora é quase inexistente, mas no momento que aparece, ela causa a imersão que era necessário para aquela cena em especifico.

Confira o Trailer:

Sully- O Herói do Rio Hudson estreia em 15 de dezembro desse ano.