A maioria das pessoas conhecem pelo menos uma história envolvendo o Rei Arthur, Camelot ou ao menos os Cavaleiros da Távola Redonda. Agora em 2017 chega aos cinemas Rei Arthur: A Lenda da Espada. O novo filme de Guy Ritchie é uma releitura totalmente nova e diferente dessa famosa história.

Arthur (Charlie Hunnam) é um jovem rapaz respeitado nos becos de Londinium. Ele desconhece sua predestinação ao reinado até o primeiro momento em que entra em contato com a Excalibur. Desafiado pela espada, Arthur precisa tomar difíceis decisões, enfrentar seus demônios e aprender a dominar o poder que possui para vencer o tirano rei Vortigern, que destruiu sua família.

O filme começa contando a história da guerra entre o rei Uther Pendragon (Eric Bana) contra o poderoso mago Mordred (Rob Knighton). Uma das cenas iniciais do filme é gigantesca e mostra uma batalha fantástica com direito a mamutes enormes e muita magia. O confronto termina com a demonstração de poder da Excalibur e a paz aparentemente volta a reinar.

A trama acompanha, inicialmente, a chegada de Arthur aos becos de Londinium ainda bebê e rapidamente passa a mostrar sua trajetória enquanto adulto e ela é de certa forma simples de se entender, embora o filme seja bastante acelerado e isso é influenciado pelo grande número de cenas de ação, o público dificilmente terá dúvidas do que está acontecendo.

O humor também acompanha a história de forma bastante pontual, existente na interação convincente dos personagens mais próximos. Embora acelerado o ritmo é agradável e não prejudica tanto a trama, ao contrário, torna as coisas mais dinâmicas.

Em algumas situações o filme mais parece um jogo de video-game, com um ritmo frenético e muito divertido de se ver. Um ritmo frenético e empolgante é adquirido durante o filme, o que deixa o espectador envolvido e interessado em tudo que está acontecendo.

Charlie Hunnam (Arthur) dá uma nova roupagem ao personagem e deixa Arthur com um jeito mais urbano e atual, um homem influente, as vezes desinteressado, irônico, mas com um senso de justiça muito forte. Astrid Bergès-Frisbey vive O(a) Mago responsável por guiar o futuro rei na sua jornada e a interação com Charlie Hunnam é um dos pontos fortes só filme. Jude Law é sem sombra de duvidas a estrela desse filme tornando o antagonista Vortigern – um tirano e narcisista que faz tudo para aumentar seu poder cada vez mais – uma das grandes surpresas. Embora o filme não o aproveite como deveria, Law se destaca sempre que aparece.

Do ponto de vista técnico a fotografia do filme é o que chama atenção. Os cenários são muito bem aproveitados e detalhados, as cenas nos enchem os olhos durante as batalhas e dentro dos castelos, cada detalhe uma surpresa com características próprias, dando muita identidade as locações. Mesclando toda essa belíssima estética e trilha sonora temos uma imersão quase total. As cenas de ação são grandiosas e com a bela música e ótimos cenários ficam melhores ainda.

Guy Ritchie certamente tem assinatura e podemos vê-la com clareza em sua releitura de Rei Arthur. Ao mesmo tempo em que cria algo novo o diretor homenageia outros épicos contemporâneos como 300, do diretor Zack Snyder, e a trilogia O Senhor dos Anéis, de Peter Jackson.

Confira o Trailer:

O filme estreia no circuito nacional na próxima quinta feira, dia 18 de Maio de 2017 e certamente merece a sua atenção.