Mais uma vez o diretor Quentin Tarantino se envolve em polêmicas. Desta vez, o diretor de Pulp Fiction teve divulgada declarações em defesa de Roman Polanksi sobre o caso de estupro de Samantha Gailley, em 1977, que na época tinha apenas 13 anos.

As declarações de Tarantino não são recentes e datam de 2003, em entrevista a Howard Stern:

Ele não estuprou uma menina de 13 anos. Era uma violação legal. Isso não é exatamente o mesmo, está tudo bem? Ele fez sexo com um menor. Isso não é violação. Para mim, quando você usa estupro, você está falando de violência, e é um dos crimes mais violentos do mundo. Lançar a palavra estupro é como lançar a palavra racista ao redor. Não se aplica a tudo.

Na entrevista, o co-apresentador Robin Quivers chegou a interromper Tarantino, alegando que Gailley não queria fazer sexo com Polanski, mas o diretor aumentou o tom de voz e respondeu:

Esse não foi o caso! Ela queria tê-lo. Estamos falando da moral da América, não estamos falando sobre a moral na Europa e tudo mais.

Quentin Tarantino também se envolveu em outra polêmica recente por ter usado de seu poder como diretor para fazer com que Uma Thurman dirigisse um carro em más condições e se acidentasse durante as gravações de Kill Bill: Volume 1.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here