Pantera Negra é o filme da Marvel que antecede o esperado Guerra Infinita, mas isso não tira o brilho do nosso herói de Wakanda. Sendo continuação da história de T’Challa que começou em Capitão América: Guerra Civil, o filme mostrará o herói assumindo a responsabilidade de governar seu povo.

A questão é que o longa é o mais importante da Marvel até agora. Certo, já houveram histórias grandiosas para a franquia – Homem de Ferro, Guardiões da Galáxia e Os Vingadores sendo os melhores exemplos -, mas Pantera Negra tem a chance de ser verdadeiramente único e inovador por uma série de motivos.

Até agora, vimos heróis americanos sendo enviados ao redor do mundo para salvar o planeta – o que geralmente leva a uma destruição massiva, como Sokovia pode atestar-. No entanto, não houveram muitos filmes do estúdio para se aventurar em escopos menores. Em Pantera Negra, o público verá um filme sobre uma nação fictícia, com uma cultura africana fortíssima e focado em um herói solo, que oferece uma riqueza criativa imensa. O sucesso de Guardiões da Galáxia também veio disso, uma visão muito específica de um cenário completamente diferente do habitual. Embora o filme de Ryan Coogler se passe na Terra, o país de T’Challa é um novo cenário para ser explorado e com certeza adicionará mais para o universo da Marvel Studios.

Wakanda é diferente de tudo que já vimos nas telonas

O estúdio está em uma ótima posição para evitar estereótipos da África – continente que só fez pequenas aparições nos filmes-. Retratar uma nação africana rica em cultura e tecnologia – mais do que qualquer outro país na Terra – revitaliza a narrativa, além de ser extremamente importante para mudar o modo com que a África é vista pelo público ocidental.

Outra coisa intrigante do longa foi um clipe que mostrava uma troca de olhares sugerindo um flerte entre duas membras da Dora Milaje, a equipe de guarda-costas do Pantera Negra formada por mulheres. Infelizmente, a Marvel rapidamente afirmou que “a natureza da relação entre Okoye (Danai Gurira) e Ayo (Florence Kasumba) no filme não é romântica.” Essa notícia foi decepcionante para muitos fãs, mas vale lembrar que a personagem Ayo está em uma relação lésbica com outra membra do Dora Milaje nos quadrinhos mais recentes do Pantera Negra, que por sinal é a fonte de inspiração para o filme de Coogler.

Essa área de sexualidade é pouco – ou nem um pouco – abordada em filmes de super heróis convencionais. Os filmes dos X-Men, por exemplo, muitos dos quais foram dirigidos por Bryan Singer – diretor gay assumido – apresentam os heróis como um símbolo para grupos minoritários perseguidos, mas nunca representaram um personagem gay nas telonas. Se a sexualidade de Ayo em Pantera Negra for fiel aos quadrinhos, a Marvel poderia mostrar ao mundo seu primeiro personagem LGBT do Universo Cinematográfico.

Coogler em seus dois filmes já demonstrou sua habilidade em contar histórias sobre essas complexidades na sociedade. Sobre como a cor é percebida – Fruitvale Station – ou masculinidade e redenção – Creed -. O diretor pode fazer bons arcos de história independente do gênero, e precisa fazer isso ainda mais em Pantera Negra, para que o filme seja uma gema rara da Marvel que não precisa fazer uma conexão forte com outro maior. Podemos ter certeza de que haverá algo com o próximo filme – Guerra Infinita -, mas pelo que foi descrito das filmagens e os vários porquês de Coogler aceitar o projeto, está bem claro que ele recebeu a liberdade criativa necessária para tornar Pantera Negra realmente especial.

Por último, mas não menos importante, a bilheteria para o filme é crucial para termos uma Fase 3 bem sucedida. A Marvel ainda não lançou um filme que não se pagasse, e eles querem manter esse histórico.

A data de lançamento antes entraria em conflito com Pacific Rim 2, mas a força da Marvel é tamanha que o filme dos mechas foi adiado, estreando quase 1 mês depois de Pantera Negra. Vale lembrar que Guerra Civil entraria em conflito com Batman v Superman, mas acabou obrigando o filme da Warner a mudar de data, mostrando mais uma vez a confiança do estúdio em seus produtos.

O sucesso do filme será a prova contra a infeliz afirmação de que “minorias não vendem”. Os fãs da Marvel e o público médio já estão no trem do hype, e logo após a aparição do personagem em Capitão América Guerra Civil e o anúncio de seu filme solo, várias hashtags começaram a surgir, manifestando o desejo das pessoas para ver o herói. Há muitas chances de Pantera Negra ser um sucesso, e agora a pressão está na Marvel para entregar o seu filme mais importante até agora.

Este texto foi traduzido e adaptado de um artigo do Screen Rant.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here