Dentre os diversos tipos de se fazer cinema um deles me chama atenção: o cinema tailandês. Enquanto Hollywood vive de muitas adaptações (diabos, temos uma adaptação de Rampage vindo ai, e eles estão levando a sério!), e o cinema indiano faz sucesso com suas galhofas exóticas, a Indonésia, Tailândia e seus arredores mandam muito bem nas lutas.

Esse mercado rende bastante por lá, principalmente porque além dos atores dublês terem a capacidade de realizar acrobacias fantasiosas, a filosofia do mercado asiático para filmes é algo como “vamos repetir até ficar perfeito”. Por conta disso, os tailandeses mandam muito bem quando o assunto é fazer filmes de pancadaria.

Operação Invasão (The Raid) é um produto desse mercado que merece bastante atenção. O filme não é um primor narrativo, mas apresenta uma justificativa muito boa para começar o nosso querido quebra pau.

Convocado por um sargento de polícia, um capitão e seu pelotão vão para uma missão de limpar o maior centro de tráfico da cidade. Eles devem invadir um prédio que é dominado pelos donos do esquema e prender todos os envolvidos, mas as coisas dão errado e os papéis se invertem, os policiais se veem presos no lugar, e com as cabeças sendo caçadas pelos bandidos, eles devem fazer de tudo para sobreviver e sair do local. Dentre os policiais, o novato Rama é um pouco misterioso, sendo altamente habilidoso e com segredos que envolvem o pessoal de dentro do prédio.

O filme realmente se esforça e você consegue perceber o esmero que foi colocado nele. A narrativa é “ok” e pode piorar se dependermos das performances dos atores, mas o longa faz com perfeição aquilo que se propõe a fazer, uma luta selvagem pela sobrevivência. Há tomadas muito inspiradas na construção do perigo, o diretor soube explorar diversos ângulos de câmera e utilizar a luz a seu favor quando o roteiro precisava desse apoio.

Já nas cenas de luta: Que satisfação! As lutas perfeitamente bem coreografadas são um colírio para olhos que não veem cenas boas de luta faz um tempo. A direção escolheu abrir e mostrar o ambiente apertado com qual os personagens lutavam, não se limitando apenas a trocas de socos e chutes, mas técnicas de agarramento, uso de facas e objetos do cenário, tudo muito selvagem e sangrento.

O desenvolvimento da trama é decente, usa algumas pausas entre as lutas para tentar colocar algum mistério e desenvolver mais os personagens, e levando em consideração o tipo do filme, é algo que acrescenta ao resultado final. A trilha sonora não se destaca, mas cumpre seu papel e consegue adicionar algo para o filme.

A fotografia fria e desaturada auxilia a sensação de perigo e ambiente hostil, deixando um contraste bem chamativo no sangue dos personagens.

Operação Invasão é um ótimo filme de luta, usando a selvageria e violência no lugar da já explorada honra, isso pode afastar algumas pessoas que preferem assistir uma luta limpa e digna, mas o longa não seria o mesmo sem essas escolhas. Os combates são um espetáculo, as lutas nos deixam sem fôlego e sem piscar, destaque para a ultima batalha, quando ela chega ao fim você até se sente cansado junto com os personagens.

Narrativa decente, alguns momentos inspirados do diretor e uma coreografia de luta espetacular, Operação Invasão é selvagem e bruto, e é um dos melhores filmes de ação/luta dos últimos tempos, dando uma aula de como fazer cenas de luta, sem cortar demais e nem chacoalhar a câmera, uma verdadeira lição para Hollywood.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here