Contrato de Judas, uma das histórias mais queridas pelos fãs da DC, de um dos grupos de heróis mais amado por muitos, finalmente ganhou seu longa metragem animado.

Escrita por Marv Wolfman, desenhada e co-escrita por George Pérez, a HQ Contrato de Judas nos apresente uma história sobre a Terra, ao lado do Exterminador em uma caça aos Novos Titãs.

Se iniciando cinco anos no passado, com os antigos Jovens Titãs, nós vemos como os heróis conheceram a princesa alienígena Estelar e seu primeiro contato com o Robin (Dick Grayson), o relacionamento dos dois desde o início foi bem apresentado e desenvolvido, diferente do que vemos com Mutano e Terra, em diversos momentos do filmes vemos Tara afastando o Mutano, diferente do que já vimos no arco original onde ela, apesar de seu jeito rude, se envolve com o personagem de maneira que, futuramente, tem um peso maior devido à sua traição.

Assim como na HQ, a animação que carrega o mesmo nome segue a mesma trama em que a, até então, heroína Terra, se volta contra os Titãs ao revelar ser uma espiã de Slade. Há algumas ressalvas no quesito fidelidade devido ao estado atual em que os personagens da equipe se encontram no DCAU (DC Animated Universe), como por exemplo Damian e o Besouro Azul, onde, na história, esses lugares eram ocupados pelo Ciborgue – que a partir dos Novos 52 faz parte da Liga da Justiça – e a Moça-Maravilha.

Sendo substituo da C.O.L.M.É.I.A. na trama, o foco no Irmão Sangue foi totalmente dispensável, assim como o personagem em si, sem sombras de dúvida o tempo focado no antagonista poderia ter sido mais usado em Slade e todo o background do mesmo onde envolve o contrato do Devastador. Por falar em personagens dispensáveis não podemos esquecer de Damian e do Besouro, ambos entraram mudos e saíram calados. Mesmo já introduzidos nesse universo a participação dos personagens foram minimas e nulas no desenvolver do filme.

Assim como na história do arco publicado em 84, o fim da Terra é o mesmo, tanto pelo espectador – que já esperava o trágico desfecho ou não – quanto por Mutano, o titã mais próximo da Meta-humana, fica sentido com o triste desfecho. A cereja do bolo nesse final foi a analogia do Mutano sobre a dor, analogia que no fim se aplicou em Terra.

No fim, O Contrato de Judas é uma ótima animação para passar o tempo e matar a saudade de ver os Jovens Titãs em ação, por mais que já tínhamos visto os mesmo em Liga da Justiça vs Jovens Titãs, o tom e a dinâmica entre eles são excepcionais para um contexto de heroísmo.

REVIEW OVERVIEW
Roteiro
Direção
Dublagem
Trilha Sonora
SHARE
Previous articleRUMOR: Nova Trilogia do Batman pode culminar em Batman do Futuro
Next articleEntenda a razão de existirem faixas pretas nos filmes
Viciado em tudo relacionado à cultura Pop, sou apenas um nerd que ainda tenta entender o máximo sobre a vida, o universo e tudo mais e que tem a franquia"Sharknado" como sua favorita.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here