Comparações nascem no dia a dia como um corriqueiro desejo de saber quem é o melhor. Desde comparações entre Goku e Superman (Lógica nenhuma) ou de sagas como O Senhor dos Anéis e Harry Potter e até mesmo comparações débeis de 2001: Uma Odisseia no Espaço e Interestellar. Estamos falando de duas linguagens do áudio visual, a televisão com seus seriados e o cinema com seus longa metragens, linguagens diferentes e maneiras diferentes que ambos expoentes da arte tem em mãos para contar uma história. Mas afinal, a televisão está superando o cinema?

Vamos analisar nossos últimos anos da televisão e no cinema, tratando puramente de blockbusters. Séries e filmes que não são obras somente apreciadas pela comunidade nerd, mas por toda uma massa de pessoas que gostam ou por evento do destino se interessaram pela obra. Um longa metragem de caracteriza por sua duração mais ampla de tempo, com uma história inicial, com seu meio e fim, uma série também se caracteriza por uma narrativa assim, mas de uma maneira mais forte ela consegue criar toda uma estrutura de continuação (Ou não) entre seus personagens, fãs e  a narrativa.

Super heróis ao todo. O cinema e a televisão sempre andaram se arrastando no gênero de trazer essas figuras icônicas para o áudio visual, de cara tivemos o Superman que se tornou um símbolo do que são essas figuras e há alguns anos tivemos o bum da Marvel, com O Homem de Ferro, Vingadores, etc. Foram com esses heróis que esse gênero voltou a se “renovar” e é a partir dele que podemos analisar a televisão e o cinema.

Ambos os lados acertam e erram, enquanto a Marvel é obrigada a entregar uma história simplista, com um roteiro não tão árduo, vilões carismáticos e caricatos, super heróis recheados de humor e uma trama fluída e inocente, as séries que giram em torno desse universo não precisam. Afinal, Demolidor, Jessica Jones e o último Luke Cage precisam ser tão escuros assim? Com toda certeza. Essas séries da parceria de Marvel/Netflix são pilares de complementos daquele universo, se existisse somente filmes Marveanos, todo aquele universo viveria a base de uma normalidade humorística insana, e as séries adultas, nefastas, repletas de sexo, sangue e dor servem pra complementar esse universo. Enquanto os filmes da Marvel precisam atrair um bom público e tem carência de algo bem estruturado e construído, as séries não. Ou seja, em super heróis? Ponto para a televisão. Eu não falo de genéricos medíocres como Arrow ou The Flash que só mancham a identidade de certos heróis, mas do que a televisão (Principalmente a Netflix) realmente traz de positivo para essas figuras: A qualidade, as boas histórias, estruturas narrativas grandiosas e que desenvolvem aquela figura. Ponto para a televisão.

marvel
Os Defensores, futura série da Marvel… E tem uma probabilidade bem ampla de ser bem melhor do que Os Vingadores

Enquanto o cinema raramente nos traz uma história consistente, notável e que agrade o grande público as séries de televisão não são vinculadas com nada disso, por que há um público chave para isso. Cinema precisa de bilheteria, hoje em dia Hollywood é governada por blockbusters, mas por qual razão? É o que vende, simples assim. Analise a bilheteria de um genérico qualquer (Esquadrão Suicida) com um longa metragem independente de um diretor conceitual (Que ás vezes nem vem ao Brasil). O cinema hoje em dia ainda está vivo, mas nos cantos da internet, nas locadoras, não nas grandes telas dentro das grandes salas, não nos projetores. Séries de televisão precisam de audiência, agradar fã é algo que vemos todos os dias (Arrow, The Flash…) mas de certa forma há séries que não só agradam o grande público, mas tem um teor construtivo para uma história excelente, bem formada e grandiosamente bem feita.

Breaking Bad é um expoente disso, enquanto o cinema nos traz as ascensões de “vilões” vinculadas por que sua esposa vai morrer ou por ser um personagem ridículo, BB nos traz a ascensão de um homem comum para uma figura maléfica. Todas as suas cinco temporadas serviram para algo, contar uma história. Momentos de ouro de fotografia, um roteiro exemplar, atuações singelas e únicas (Bem superiores a certos atores de cinema) e inúmeros prêmios. Os Sopranos com sua saga dramática, Lost com sua história única de sobreviventes, Dexter desafiando a síndrome do psicopata e introduzindo os telespectadores sobre o sabor da morte, e bem, Game of Thrones desafiando totalmente o cinema, dando conteúdo extremamente superior às fantasias atuais.

O histórico do fantástico não é tão amplo como eu gostaria, histórias fictícias, fantásticas e medievais atraem grande público, mas uma que agrade a muitas (muitas mesmo) pessoas e tenham todo um valor cinematográfico ou televisivo é raro de se ver. Spartacus, revolucionando o gênero, Coração Valente com seus vários Oscar e a narrativa de uma história épica e O Senhor dos Anéis com uma fábula grandiosa e fantástica como um ícone do que é cinema puro são  vertentes enormes do gênero, mas e aí? Hollywood ainda produz coisas assim? Qual foi o último filme de fantasia medieval que você viu no cinema e que não só tinha um cerco, espadas, sangue e CGI nocivo?

048599

Game of Thrones (Principalmente com Batalha dos Bastardos) quebrou totalmente esses paradigmas, e é um efeito único nessa jornada dos dois mundos. Agrada, e agrada bastante, não só nerds, fãs de fantasia, fãs de séries e afins, mas várias pessoas não tão ligadas a isso, afinal é um fenômeno.

Black Mirror com sua genialidade tecnológica, revolucionando a ficção científica com seu formato único. Mr. Robot com recursos próprios das séries, com suas loucuras que caem melhor numa narrativa assim, House of Cards em sua megalomania política e Narcos com a jornada do maior traficante de todos os tempos, essas histórias não cabem no cinema e se coubessem… Atrairia público? O que a grande massa pensaria de Mr. Robot, um filme longo, chato, cinzento, com um personagem anti-social e com debates tão profundos? Ou de Black Mirror, até mesmo de House of Cards, com toda a política  americana?

A televisão está vencendo, vamos admitir. É através dela que excelentes histórias estão sendo contadas através do tempo, o cinema ainda está aí, é raro, mas muitos longas excelentes estão sendo produzidos ultimamente, mas não é a mesma coisa, a mercadologia Hollywoodiana está acabando com qualquer tipo de obra que apresente algo real, singelo. Essas duas linguagens são diferentes, únicas e interessantíssimas, antigamente o cinema era a sétima arte, hoje em dia ninguém sabe.

E no placar de arte, a televisão está vencendo.

 

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here