Se você tem acompanhado os textos semanais (OBRIGADO! <3), já percebeu o quanto nos esforçamos para a qualidade e novidade dos textos, não queremos apelar para o que sempre fazem, para o que você pode ler em qualquer lugar, queremos explorar o novo, queremos demonstrar uma paixão racional sobre aquilo que tanto amamos: o Esporte. Escrever isso e trazer o título que trazemos parece incoerente (por que o “lema Não é só um jogo” vem sendo repetido por muita gente há pelo menos 3 anos). Mas eu realmente precisava escrever esse texto.

E tive essa certeza na terça-feira dia 05/07, quando li uma notícia que um torcedor São Paulino aqui da minha cidade, faleceu em São Paulo, ainda no aeroporto, o mesmo teria sofrido um infarto e não resistira. O torcedor saiu de Vilhena, Rondônia (cidade onde eu moro) que fica mais de 2000 km de distância de São Paulo para assistir o Tricolor Paulista jogar pela Libertadores da América no dia 06/07.

Quando fatos desse tipo ocorrem é comum ouvirmos entre algumas pessoas que lamentam a perda frases como: “Olha só, foi pra assistir a besteira de um jogo e acontece isso” ou “Se não fosse essa porcaria de jogo ele ainda estaria conosco”.Argentino ChoraEu respeito a dor, e o luto dessas pessoas e eu realmente senti muitíssimo pelo que aconteceu. Entendo que os menos aficionados pelo esporte possam ter esse sentimento, e até não entendem por que era tão importante para o torcedor viajar o que viajou para ver um momento histórico ao vivo.

Mas a verdade senhores é que não se trata de APENAS UM JOGO.

Não! Envolve paixão! Envolve carinho, envolve um sentimento de propriedade e de pertencimento. O esporte gera isso! O esporte faz com que um senhor nordestino tenha como roupas apenas os uniformes do seu time, faz com que um pai coloque o nome do filho de Romário, Bebeto, BEQUINBAUER, Ronaldo e etc… FieltorcidaO esporte faz com que um torcedor viaje pro outro lado do mundo pra ver seu time jogar (a torcida do Corinthians mostrou isso em 2012). A paixão pelo esporte faz o torcedor tatuar o escudo, pintar o rosto das cores do time, faz rir, pular de alegria, faz chorar e entrar em desespero!

Faz o que a torcida da Islândia fez nessa última Eurocopa, HISTÓRIA!

E deixemos o futebol de lado, o fã de basquete lota os ginásios americanos e grita “DEFENSE” sempre que seu time está da defesa!

SEATTLE, WA - JANUARY 19: Seattle Seahawks fans celebrate after the Seahawks 23-17 victory against the San Francisco 49ers during the 2014 NFC Championship at CenturyLink Field on January 19, 2014 in Seattle, Washington.

O fã do Futebol Americano faz a terra TREMER em determinados estádios, e gritam tão alto (tática pra atrapalhar a comunicação do time adversário) que o fator casa é praticamente vitória certa pra alguns times. Os Springboks (seleção Sul-Africana de Rugby) uniu o país em 1 só em 1995, e deu a África do Sul um gigantesco passo rumo a separação que o Apartheid causou (se passou 20 anos e os passos continuam sendo dados). Gustavo Kuerten, Airton Sena e tantos outros nos fizeram amar alguns esportes que mal conhecíamos, pela sua paixão, pela emoção que nos proporcionaram!

Eu entendo que muitos jamais sentirão isso por esporte algum, da mesma maneira que eu nunca vou sentir isso por uma HAVE ou por uma FESTA DO PEÃO (Risos).

A verdade nua e crua é que para nós apaixonados por esportes tal sentimento de emoção, preocupação, desespero, alegria e etc. já se tornou um impulso natural, e citando Mouse de Matrix, “negar os nossos impulsos, seria negar aquilo que nos torna humanos! ”.