Esqueça tudo o que você sabe sobre tudo antes de começar a assistir Legion. Esqueça os quadrinhos, esqueça os filmes do UCM e da Fox claro e esqueça as outras séries de TV da Marvel, Legion está em um outro nível, muito além de qualquer outra coisa, muito além de… tudo.

A série conta a história de David Haller (Dan Stevens), personagem que, desde adolescente, lida com uma doença mental. Diagnosticado como esquizofrênico, David tem diversas passagens por hospitais psiquiátricos até descobrir que existe a possibilidade de que as vozes e as visões que o perseguem podem de fato ser reais.

Legion se passa, aparentemente, em um universo paralelo àquele criado nos cinemas pela Fox, ou pelo menos está bem distante do que já vimos nos filmes dos X-Men até agora. Os mutantes aqui são perseguidos como sempre foram e sempre serão, porém esta não é exatamente a história que eles querem nos contar, mas sim o que se passa dentro da cabeça confusa de David.

As várias tomadas que oscilam entre presente e passado, até mesmo interrompendo diálogos para nos levar a algum outro lugar, fazem com que por boa parte do tempo nos questionemos, assim como David, se aquilo que estamos vendo, aquela pessoa no fundo da sala ou as vozes que estão sendo ouvidas são reais ou apenas mais uma alucinação do Legião, um dos mutantes com uma das mentes mais poderosas do mundo.

O passado de David se encontra com o presente e com suas alucinações a todo momento, sonhos confusos e um demônio de olhos amarelos o assombram, liberando um poder – do qual ele não possui controle algum – em horas impróprias e com isso nos entregando tomadas magníficas e cinematográficas, como a linda cena do beijo por exemplo, que estão ali por algum motivo.

Muito de Legion está lá por algum motivo, podemos não ver agora, podemos não entender ou achar que são apenas informações inúteis, mas aparentemente tudo se encontra e se conecta em meio a toda confusão em algum momento.

Confusão, essa é a palavra. Legion é uma série confusa, realmente confusa, daquelas que quando você começa a pegar o ritmo e achar que entendeu tudo ela muda de novo, te confundindo talvez até de propósito, te fazendo franzir as sobrancelhas só para pegar o ritmo novamente e tudo mudar de novo.

Mas não se engane, Legion pode ser caótica – e isso com certeza ela é – mas é uma série magnifica, esplendida e maravilhosa. Noah Hawley, conseguiu apresentar um panorama geral do que se pode esperar do restante da temporada e, com louvor, cumpriu a missão de nos prender e nos fascinar com tudo o que vimos.