Seria o Azzarello parte mais crucial deste quadrinho do que imaginávamos?

Depois de mergulhar no universo sombrio e delicioso de Cavaleiro das Trevas e o Cavaleiro das Trevas 2, que muitos leram já compilados em uma edição renovada e de capa dura; o desenhista Frank Miller, conhecido por seu trabalho em Demolidor, Batman e até mesmo com Wolverine, além de um time de grandes nomes dos quadrinhos trazem tão finalmente a nós “Cavaleiro das Trevas III – A Raça Superior”, que promete trazer novas emoções aos nossos frágeis corações geeks.

A parte um da trama já foi liberada no Brasil, e é claro, que eu já li e resolvi falar um pouco do que eu acho sobre o rumo da história, sobre o toque do Azzarello (Mulher Maravilha: Sangue), além disso comentar o que eu deve rolar em seguida.


Em uma frágil Gotham City, baderneiros comentam do retorno da figura mais famosa de todas nas ruas, não uma figura qualquer, A FIGURA, o cavaleiro que mudou a cidade para sempre: Batman. Mas desta vez, ele não parece estar jogando do mesmo lado que a lei. Ele está com raiva, revoltado com as autoridades, ele quer respostas. O mundo passa a se perguntar quem é ele novamente, e claro: O que ele é? Muitos acreditavam que os dias de vida do morcego haviam findado, mas para a surpresa geral da população: A figura do morcego não pode ser morta.

Longe dali, em um cenário mitológico nada urbano, vemos um vulto poderoso se esgueirar pela floresta em busca de sangue, apenas uma heroína poderia fazer o serviço de salvar uma aldeia inteira que corria por suas vidas, Mulher Maravilha. Porém desta vez, carregando uma carga especial (SPOILERo seu filho com Clark Kent (/SPOILER) a super figura luta, mesmo que ainda se indagando sobre o papel dos heróis para com a humanidade, se perguntando qual é a sua motivação para salvar pessoas que sempre acabam virando as costas para seus heróis, nunca gratos, sempre com medo. Essa versão da Maravilha está extremamente conectada ao Superman, absolutamente intrínseca para o desenrolar dos fatos na primeira parte do quadrinho. (SPOILER) Mais importante ainda que o bebê que a nossa amazona carrega mesmo em batalha, é a filha mais velha da união história: Lara,  filha mais velha de Clark. (/SPOILER)

Não vou contar como a trama se desenrola daí para frente, mas é super válido ressaltar que todos vão se apaixonar com o clima de Cavaleiro das Trevas III, que já emociona de início. É notável que não só a mão do Frank Miller permanece forte sob o quadrinho, mas também a liberdade criativa, tanto para os desenhos quanto para os pitacos no roteiro, do Azzarello foram cruciais para que a história se renovasse sem perder a compostura de ícone dos quadrinhos. Vale dizer que a tradução brasileira do quadrinho está primorosa como sempre e que a Panini está realmente tratando o quadrinho com um cuidado especial, até o material parece feito para durar mais e melhor.


Ressalto também que o quadrinho solo do Átomo que vem acompanhando a edição é formidável, além disso, age como uma “cena pós-créditos”, então leiam DEPOIS de terem lido o quadrinho todo, ou terão spoilers do nada. Falando em spoilers, essas perguntas a seguir vão para quem leu o quadrinho em questão:


Qual é a verdadeira identidade do morcego? Por onde ele andou? O que a relação entre o Super Homem e a Mulher Maravilha vão acarretar? Com Bruce e Clark fora do jogo, o que resta para a humanidade? Uma Liga da Justiça que não passa de um fantasma? Carrie Kelley madura e assumindo o manto… Não de Batgirl, mas de Batman? O que isso significa? Os planos de Lara podem ser malignos? Ela pode estar revoltada a ponto de querer esmagar as “Formigas” que são os humanos? Esmagar o Batman? Acreditam que a filha do Clark possa vir a ser a vilã da edição? Estou LOUCO para saber as respostas para estas perguntas.

O quadrinho de Miller, Azzarello, Kubert, Janson e Anderson já está disponível nas bancas, não deixem de conferir o primor de Cavaleiro das Trevas III. Nota 8.9, podem confiar.

Gostou? Segue o Thoth nas Redes Sociais:

A PÁGINA OFICIAL | Twitter | Youtube