Toda jornada de grandes personagens tem um fim. Ainda por cima quando essas séries são extremamente masculinas, onde o protagonista pessoal é um homem, a jornada de subida de um homem ou de sua queda. Breaking Bad tinha Walter White, que embora tivesse seus coadjuvantes, era um personagem único, e outros clássicos não fogem disso, Mad Men, Os Sopranos… E o mundo da política tem Frank Underwood, mas agora sob uma perspectiva diferente, Claire também está junto a ele. Pensando sobre todos os arcos, roteiros, dramas e problemas que suas quatro temporadas tiveram, é inevitável pensar em como isso pode termina, e só pode ser a morte.

Sabe, quando inicia-se uma série dessas é muito difícil não pensar na morte do personagem, no seu sucesso, na sua queda… No que realmente vai acontecer com esse personagem no seu fim. Ainda mais para uma  figura política, o presidente dos Estados Unidos da América, inescrupuloso e pragmático, Underwood passou por suas quatro temporadas como um barco desliza por um lago, teve seus momentos turbulentos, fez suas manobras, ajeitou seus passageiros e fez cursos diferentes, é uma pena que esse lago precisa de um fim.

Pelo que tudo indica, House Of Cards pode perder seu protagonista, e isso significa o fim de toda uma história. São as eleições finais, Frank e Claire observam a carnificina caótica que estão tramando para manter seus poderes, mas o que vem a seguir? Frank perdendo as eleições e ter que ascender novamente ou o golpe final, Frank se reelege, e cai em seguida.

House of Cards é uma série de momentos pequenos e únicos, seus personagens por grande parte da série são contidos, calmos, claro que existem seus momentos de explosão, mas no fim de tudo é uma série morna, e depois de quatro poderosas temporadas a série não cairia no mal do morno, o que aguarda essas personagens no próximo ano? O fim de um protagonista de era e a ascensão de uma outra.

Claire é uma bomba relógio, seria uma manobra política de tirar os olhos da cara ela no fim mostrar para Frank que seu último ano foi uma manipulação total, visto que seu casamento passou por problemas e Claire permanecendo esse desejo de manter-se importante, de ser alguém importante, nada mais justo que ela mesma derrubar o seu fiel parceiro e se tornar a primeira presidenta dos Estados Unidos.

Se esse for o desfecho, o público vai entender ainda mais o que Frank, Claire, Remy, Douglas e tantos outros personagens nos mostraram, a política não é fácil, é um jogo violento, instigante, destruidor e por fim mortífero. Tudo ascende e tem seu fim.

“Eu vou vencer. E eu vou deixar um legado”

Você deixou, Frank.

Que venha o quinto ano.