Para sustentar uma série de tv é necessário personagens, você fica fixo à eles, cria sentimentos e obviamente toda série de qualidade tem sua marca registrada por esses personagens. De uma maneira eloquente e genial, Breaking Bad é uma das melhores séries de todos os tempos e isso é inegável, e é por conta disso que há a presença de Walter White, o protagonista e principal figura que carrega a série. Além das cinco temporadas totalmente voltadas a grandiosidade desse personagem e que giravam em torno da pura realidade dele, temos a imensidão de que foi WW. Além de ter uma curva dramática, um crescimento sem escalas e uma qualidade interpretativa unida a uma eloquência de maleficidade e uma história extremamente captante Walter ao meu ver é o melhor personagem de todas as séries de televisão.

Walter inicia a série branco, como seu sobrenome sugere. É um famoso padrão, tem sua esposa e um filho, e outro vindo por aí. Walter trabalha como professor em uma escola, é uma figura muito experiente em Química, mas a vida o fez virar professor. Ele também trabalha em um lava jatos. Esquisito, não? Acompanhamos as desilusões de Walt, não podemos negar o gênio que ele é, já foi premiado por fazer parte de uma equipe vencedora do Nobel, mas agora é professor do ensino médio que pelo menos ao ver da comunidade acadêmica dos EUA é ridículo. Walt é um gênio simples, é encucado, meio nerd e vive sob seus óculos, seu cabelo bem cortado e um bigode aparado. Cuida de sua esposa, ama seu filho e se preocupa com sua falha condição financeira. É possível notar a sua má situação no trabalho, não por fazê-lo mal, mas por seu vago desejo em fazer aquilo, ao ver dele é ridículo também. Além de aguentar as peripécias extremamente ridículas de uma turma do ensino médio, Walt enfrenta um patrão rude em um lava jato, e é obrigado a lavar carros.

gallery_ustv-breaking-bad-season-1-pictures-6
S01x01

É aí que nasce o tal Heisenberg. Que você irá conferir logo. Walter segue essa vida padrão, é totalmente branco, mas com toda certeza tem algo dentro de si que anseia por algo a mais. E então é surpreendido pelo câncer, essa doença não é simples, é uma sentença de morte. E como todo homem que ama sua família padece diante a sua morte, o que seria de sua família? Ele está prestes a beirar a falência e então isso acontece. Ele precisa de algo a mais, ele necessita ajudar sua família e libertar essa figura de dentro de si. Walt se arma com a Química, produzir metanfetamina com um antigo aluno e agora um amigo (Será?) é sua arma, é seu dote de que sua família irá ter algo após sua morte e é o significado de que o antigo Walt não é o único pensamento naquela mente, agora ela também está armada sob o véu de Heisenberg.

Por toda a série vemos momentos assim, da mudança repentina de Walt e Heisenberg. Walt se despedaça de seu padrão até mesmo no episódio um, quando enfrenta os valentões que brincam com a deficiência do seu filho. Ele está se tornando um verdadeiro badass, e no decorrer das temporadas um verdadeiro monstro com seus objetivos. Como na segunda temporada, em “Phoenix” onde Walter está a mercê de vários problemas com seu sócio por conta da nova namorada dele, Jane. Walt entra no apartamento com ambos drogados em cima de uma cama, vira Jane e ela está em uma overdose, engasgando-se com o próprio vômito. Além das conspirações, maquinações, propostas e todo o tipo de megalomania econômica e comercial com as drogas que produz e vende, Walt também se torna um assassino quando opta por videar a garota morrer e seu sócio retornar ao normal do que salvá-la e perdê-lo. Walt agora está rumando para um caminho sem volta, ele está se tornando cada vez mais escuro, como a curva de um Jedi para um Sith, Walt encarna Heisenberg e só gira em torno de seus objetivos. Em “Half Measures“, Walter está com mais problemas com Jesse Pinkman. É engraçado notar como Walt tem esse relacionamento com Pinkman e em maior parte ele encarna Heisenberg por conta do garoto. Pinkman deseja vingar o irmão de uma garota, ele fora morto por gangues de tráfico e caminha pela rua com sua arma, está fervendo, ele vai se vingar? Um carro impede aquilo, Walt está desesperado e de uma maneira fria e para proteger seus objetivos mais uma vez ele atropela os traficantes, tomando a arma de um último quando desce do carro e atirando na cabeça do pseudo-morto, e então ele fala: Run. Não existia mais Walter, Heisenberg estava a mercê de Pinkman, estava trajado do negro e agora passava todas as ordens, todas as direções e sentidos para a razão de seu objetivo, estava preso a ele e não tinha mais volta.

giphy
Terceira Temporada.

Eis que na quarta temporada, Walt tem um imprevisto: Gus Fring. Esse novo chefão precavido é uma pedra no sapato de Walt, ele não pode ser somente Heisenberg, também precisa de Walter White e na season finale ele exibe muito bem isso. Em uma explosão com todo o sentimento genial de Walt e a maldade de Heisenberg, esse misto de figuras e curvas dramáticas detonam Gus, ele vence. É uma união entre dois personagens constantes na série e nesse momento grande parte dos telespectadores se perguntam até que ponto isso vai chegar. Anakin Skywalker se transformou em um Sith por conta de sua amanda Padmé e também por sua total aniquilação em seu conflito contra Ben Kenobi, mas é irrefutável falar sobre a maldade constante que o personagem nutria. Diferente de Anakin, Walter tem uma razão que é sua família, ele repete inúmeras vezes a Skyler White, sua esposa que tem ciência sobre esse seu “emprego” e chega a participar que é tudo pela família, tudo que Walter fez e irá fazer é em nome do cuidado, da segurança e da vida das pessoas que ele ama e não há fator que o impedirá disso.

Até a última temporada, no grandioso “Ozymandias” o décimo quarto episódio da temporada, Walter vivencia a morte de um “amigo”, Hank. Ele envolveu aquela pessoa em tudo aquilo e então ele morrera. Hank é uma figura sem mudanças, e é notável por isso. Ele inicia a séria investigando e caçando o tal Heisenberg e finaliza assim, como um policial. Walt encara a morte de Hank como o fim, precisava fugir e entrando na sua casa desesperado com os restos de dinheiro que tinha ele tenta fugir com seus filhos e sua esposa, mas Skyler não tem mais cabeça para isso. Walter certa vez fala que ele que irá bater na porta, para Skyler não existe mais Walter White, somente Heisenberg e ela tenta impedir aquilo. Walt grita quando o conflito se acirra “Somos uma família!”. Ele nota que não existe mais família, Heisenberg despedaçara aquela família em tantos pedaços que não há mais retorno, e então ele foge.

Para os episódios finais da série,  como o décimo quinto, é quase raro ver alguns momentos com Walter. Heisenberg pensa em ficar fora da jogada para sempre, mas no término do décimo quinto ele investe naquilo novamente. Ele volta a ativa e agora pretende fazer o que quis do começo, deixar sua família, mas deixar de uma maneira positiva. Um ponto não mencionado é sobre o perigo constante do câncer, ele vai e volta, mas agora não há mais preocupação nisso, Walter sabe que vai morrer, de uma maneira ou de outra. E então ele encarna o Heisenberg unido ao Walter White, não é somente maldade, mas é genialidade como investiu na quarta temporada. É uma curva gigantesca e genial, e agora ele vai pra ativa. Walter engendra um plano, deixa milhões para sua família e sabe que ela via se beneficiar e em uma conversa final com Skyler ele fala algo que pode ser analisado há certo tempo, que em vários episódios é notável.

Walter não fez tudo aquilo somente por conta da sua família, ele era bom naquilo.

Vivendo ás sombras de uma empresa bilionário e construída por ele, vivendo por ser professor de alunos mal interessados e lavando carro, Walt desejava mais e agora todos sabem que o Heisenberg estivera lá o tempo todo. Ele liberta Pinkman de um estado de escravidão e assassina todos que pudessem causar algum mal a sua família, e por fim perece em um laboratório, no lugar que ele sempre amou.

Walter White não era um simples Anakin, ele não cresceu do “nerd” para o “badass” ele teve uma curva de humanidade, ele não é uma figura maléfica, tampouco bondosa. Walter White é um conceito de como qualquer ser humano é, em nome de sua família ele fez coisas ruins, matou para isso. Mas também é em nome de algo dele, é um sentimento egoísta, mas é algo constante. Walter White não é somente uma curva, é uma definição.

Walter White não é um personagem que parte de algo e vai para um tchan, é uma definição que vai e volta, que se transforma.

Walter White é pura química, é puro Lavoisier.

Walter-White-Dead