Se há uma perturbatória que Moore causa é em Neonomicon. Watchmen é graciosa, V de Vingança é puramente fantástica e A Piada Mortal é um acréscimo de história a um personagem amplo. Neonomicon é uma desgraça, unida a perturbadora e satisfatória mente de H.P Lovecraft. Alan Moore não só abusa do leitor, ele te puxa para uma cadeira elétrica e te tortura, de todas as maneiras possíveis. Se você é um fraco, você não tem vez. Talvez com o roteiro ambientado em um clima interessante de se ler e com uma arte crua e meio realista, Moore nos entrega seu pior trabalho. E é claro que isso é bom.

O enredo gira em torno de dois detetives que estão investigando uma série de assassinatos cometidos por pessoas diferentes, mas extremamente parecidos. Nessa pegada que nos lembra True Detective somos empurrados para uma trama rápida, sem muitas demoras e com um estilo um tanto contemporâneo de Moore, o linguajar é um tanto atual com conversas paralelas, sobre sexo e uma centena de xingamentos. O roteiro é chamativo, por esse aspecto próprio de Moore há uma fluidez sem tamanhos, a trama inicial é notável e quando o leitor é empurrado de vez para aqueles assassinatos sem nexo logo somos captados pelo estilo narrativo do escritor. Ou seja, Moore ainda mantém uma certa qualidade de seus trabalhos anteriores, considerado por muitos o maior roteirista de quadrinhos de todos os tempos ele dá algo totalmente caracterizado de sua mente, óbvio que com ressalvas das obras de outro autor, mas é o que ele sempre quis. Alan Moore é um espírito um tanto encasulado por certo tempo, trabalhando em editoras que talvez hoje ele despreze, mas com Neonomicon o grito de liberdade extremamente doentio e perturbador de Moore ecoa, pelas moradas sombrias e nefastas dos leitores de quadrinhos que são naufragados nesse barco sem escalas.

neonomicon4O enredo de Neonomicon é de certa forma simplista, acompanhamos a investigação desses dois personagens e os casos se amarrando. Já vimos isso antes, mas Moore nos traz algo inusitado que com toda certeza não posso citar. Mas de certa forma em meio a investigação somos tragados por um momento de pura surpresa, estamos lendo, acompanhando a narrativa investigativa que quase nos presenteia um clima noir e então nos deparamos com o sobrenatural ao todo, com a presença direta da obra de Lovecraft. Além disso, somos esculhambados visualmente com cenas de perturbação total e nem explicação temos para isso. Ao término da HQ há surpresa, confusão e acima de tudo um amargor na boca, talvez se perguntando “Por que diabos eu li isso?”. Neonomicon ao meu ver não é ruim, mas não é boa! É chocante, tem suas doses de Moore, mas acima de tudo não é uma obra memorável, não é a maior incógnita da mente do escritor. Embora tenha seu grau de perturbação e siga uma narrativa translúcida e simplista, Neonomicon é banal, nasce para descaracterizar a visão do leitor sobre algumas obras que ele possa ler e quando eu digo que descaracteriza, é de uma maneira forte.

Talvez você não seja a pessoa mais mole do mundo, que não se choca com qualquer coisa. Mas acompanhamos algo em Neonomicon que não é normal (pelo menos para mim), as imagens que rondam os quadros, os momentos de ”ouro” e o roteiro ao todo não são ligeiros, momentos oportunos que acontecem a todo instante. Quando somos apresentados a um universo com seitas, estupros, criaturas grotescas e uma grandiosidade metafísica e doentia isso tudo foge da nossa normalidade, beira a perca total da sanidade e nos afoga com um bom gole de vinho estragado.

Se prepare para uma viagem repleta de alucinógenos e loucura gratuita, insanidades perturbadoras e um medo afobado, para uma trama de um Moore liberto e totalmente doentia.

A HQ foi publicada no Brasil em agosto de 2012 pela Panini, no momento se encontra esgotada no site da empresa, mas é possível encontra-la em outros sites onlines e Comic Shops.

 

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here