Elektra é sem dúvida uma das mais violentas assassinas do universo Marvel.  Criada por Frank Miller em meados de 1981 a personagem chamou a atenção do público por suas características únicas: Guerreira,  ninja,  assassina e perturbada.  Elektra carrega com pesar sua vida e os rumos que ela tomou.

Disposta a deixar seu passado para trás e respirar novos ares Elektra procura a Casamenteira afim de conseguir uma encomenda que a tire da cidade e é assim que se inicia uma das mais belas e fascinantes jornadas da personagem.

Elektra recebe a missão de procurar o Corvo Encapuzado. O obscuro assassino começou a matar outros assassinos e roubar suas encomendas e com isso marcou um alvo em sua testa.  A Liga dos Assassinos passou a caça-lo obrigando-o a desaparecer do mapa… O Corvo Encapuzado passou um bom tempo desaparecido e a Liga atualizou a oferta por sua cabeça para uma quantia bem generosa… Acontece que um doador anônimo ofereceu uma quantia maior ainda para quem conseguisse capturá-lo vivo. Elektra aceita a encomenda e sai a caça do Corvo e a medida que a sua jornada se desenvolve ela mergulha cada vez mais em seu interior.
A história é muito bem escrita e possui um ritmo bem agradável. W.  Haden Blackman tem a capacidade de mesclar muito bem o presente e os temores da personagem.  Sua personalidade foi construída através de tragédias,  sua alma em frangalhos se desprendeu da vida terrena e tenta se recompor longe de relações humanas.  Elektra vive em constante reflexão sobre sua vida,  seu passado,  seu presente,  o que ela poderia ser caso não fosse uma assassina e como seria sua vida caso tivesse tomado outros rumos.

Durante a viagem Elektra se depara com alguns de seus antigos inimigos e um novo e interessantíssimo personagem é introduzido.

Lábios Sangrentos tem a interessante capacidade de adquirir as habilidades físicas e mentais de quem ele,  gastronomicamente,  come.  Ao se alimentar de um tubarão,  por exemplo,  ele adquire a capacidade de respirar em baixo d’água,  ao se alimentar de um rinoceronte sua pele se torna dura e resistente e ao se alimentar de um ser humano,  além de adquirir suas habilidades e conhecimento,  ele absorve suas memórias,  dores,  amores e pesares.  O desenvolvimento deste personagem acontece em paralelo ao desenvolvimento dos pesares de Elektra e é interessante a forma como isso se choca na história mostrando perspectivas diferentes de dois assassinos parecidos e ao mesmo tempo distintos.

A trama possui algumas reviravoltas bem criativas e isso mantém o leitor interessado.  Não só isso como o belíssimo traço aquarelado de Michael Del Mundo.

Não há como não ressaltar o MAGNÍFICO trabalho desse desenhista.  As ilustrações contam a história não como estamos acostumados a ver,  mas de uma maneira totalmente única.  Os traços são fluidos e contínuos a colorização dos desenhos é magnífica e Del Mundo é descomunalmente criativo. Acham que estou exagerando? Olhem só algumas páginas do encadernado:

Em algumas páginas duplas Del Mundo trás a sofisticação de uma dança de balé em meio a batalha e ainda soma reflexos do passado de Elektra a ilustração.

As artes são tão bonitas que eu poderia fazer uma galeria gigantesca de páginas. Del Mundo transmite história pelo desenho,  complementa a trama de Blackman e torna esse encadernado (Reúne as histórias de 1 à 5 de Elektra) indispensável.

A Panini tem lançado no Brasil os encadernados da Totalmente Nova Marvel com capas de papel cartão muito bem trabalhadas à preços sugeridos de R$ 19,90.

Elektra – Linhagem Assassina foi lançada no Brasil em Julho desse ano e merece cada centavo investido. História muito bem escrita,  com personagens interessantíssimos e  ilustrações fantásticas.

Não é necessário ter lido outras histórias da personagem,  basta saber que ela foi morta pelo Mercenário e teve um relacionamento com o Demolidor (Matthew Murdock) antes de morrer e retornar.

facebook comments:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here